Tecnologia na Educação: confira 6 tendências

A parceria entre Tecnologia e Educação deu super certo e, atualmente, são desenvolvidas diversas soluções para aprimorar e facilitar o processo de aprendizagem dos estudantes.

Essas soluções ganharam bastante espaço graças às vantagens que oferecem e, por isso, são utilizadas não somente em escolas ou universidades, mas também em empresas que desejam capacitar ainda mais seus colaboradores.

Portanto, as empresas e instituições de ensino que desejam aprimorar os seus serviços precisam ficar de olho nessas tecnologias para saber quais delas se tornarão tendências. E, para que você tenha essa informação de antemão, vamos mostrar aqui 6 tendências que vão tomar conta do ensino nos próximos anos. Confira!

 

Learning analytics

Como o próprio nome sugere, trata-se uma análise de aprendizagem. É uma ótima ferramenta para quem oferece cursos e treinamentos, independentes de sua estrutura ou carga horária, pois permite a coleta e a análise dos dados de como os estudantes se comportam em um determinado ambiente de aprendizagem. Um ponto bastante positivo é que a leitura das informações coletadas pode ser feita de forma individualizada. Em outras palavras, é possível ter acesso às dificuldades e habilidades de todos os estudantes para, assim, propor melhorias na estratégia de como se oferece ou mesmo em como se produz conteúdo de qualidade.

 

Realidade virtual

A realidade virtual vem sendo aplicada em diferentes áreas e apenas recentemente é que foi incorporada à Educação, uma vez que possibilita a geração de imagens em 3D e 360º para que o estudante possa interagir com elas, tornando-se parte da realidade projetada.

O propósito dessa tecnologia é justamente simular uma realidade, como um local ou uma época. A simulação é muito positiva para o processo de aprendizagem do estudante, porque permite que ele tenha uma experiência diferente com o tema e se envolva mais com o assunto.

Por exemplo, com a realidade virtual, o estudante é capaz de simular que está em um café na França e testar o francês que está sendo estudado no curso de línguas, ou ainda adentrar o corpo humano para entender melhor o que foi passado na aula de biologia. Dessa forma, o ensino se torna interativo, dinâmico e efetivo.

 

Microlearning

O nosso dia a dia é muito corrido. Dividimos o nosso tempo entre estudo, trabalho e lazer, e somos bombardeados com informações a todo momento, seja no celular, na TV ou nas ruas da cidade.

Como tendência, entender o cenário nos proporciona gerar soluções rápidas e cada vez mais eficientes, independentemente da área de atuação. Logo, a Educação não ficou para trás e nos trouxe o microlearning, que é bastante difundido hoje na aprendizagem corporativa. Um pouco diferente das pílulas de aprendizagem ou de conhecimento (ponto polêmico quando discutimos se de fato existe uma diferença real entre as peças de aprendizagem), o microlearning é mais utilizado para contextualizações rápidas ou mesmo para apresentar um conteúdo de passagem, pois garante que o conhecimento seja transmitido de forma rápida para o estudante em pequenas partes, que são conectadas com propósito educacional.

Geralmente, são vídeos curtos, podcasts ou jogos interativos, desde que sejam assertivos e foquem em um único tema.

Ao contrário do que muitos acreditam, o microlearning não diminui a quantidade de conteúdo fornecida para o estudante. Ele apenas muda o formato do curso, ou seja, o conteúdo é dividido em mais aulas, com durações menores.

Leia também:
Aprendizagem Móvel: o smartphone como plataforma de EAD corporativo

 

Biblioteca Online

A biblioteca online é um recurso imprescindível para que estudantes, especialmente os que fazem um curso a distância, mas também os que fazem cursos presenciais, tenham acesso a uma enorme gama de títulos, armazenados e organizados de forma a tornar a pesquisa e o estudo práticos e eficientes, como pedem os nossos dias. As bibliotecas online podem ser acessadas a partir de qualquer dispositivo remoto conectado à internet. Nelas, é possível, a qualquer hora, encontrar o título que se procura, filtrando-o por área, autor, palavra-chave, dentre outras informações que facilitam a busca de livros e documentos nesse ambiente virtual, que vem, pouco a pouco, substituindo as bibliotecas físicas.

Outra maneira de armazenar materiais é na já conhecida nuvem virtual. Ela também permite o acesso compartilhado a qualquer lugar e momento, sem precisar instalar dispositivos, como pendrive e CDs, nos computadores.

Independente da forma utilizada, a ideia é facilitar a procura e o acesso a livros e outros materiais que possam auxiliar no percurso formativo dos estudantes durante a sua jornada.

 

Inteligência artificial

A inteligência artificial (AI) tem um grande potencial que ainda não foi totalmente explorado. O segmento está apenas começando no Brasil e, mesmo assim, os resultados já podem ser percebidos na Educação. Com a AI, é possível criar plataformas de gestão em uma instituição de ensino e assumir as tarefas administrativas que antes tomavam o tempo dos professores, coordenadores e diretores. Isso otimiza o tempo de todos e faz com que esses profissionais possam se dedicar a atividades mais importantes por um período maior. Por exemplo, postar notas é uma tarefa demorada. Se uma plataforma fizer esse serviço para o professor, ele terá mais tempo para preparar aulas e dar atenção aos estudantes.

 

Gamificação

Em um primeiro momento, essa tendência pode parecer interessante somente para crianças. Entretanto, a gamificação da aprendizagem também é muito positiva para estudantes e profissionais de qualquer idade, pois o lúdico pode ser experienciado de diferentes maneiras, auxiliando a consolidação de conhecimento.

Não se trata apenas de jogos interativos presentes entre uma leitura ou outra, por exemplo, mas sim de uma estratégia que promove a colaboração de um determinado grupo e desafia as pessoas a melhorarem o seu desempenho frente a necessidades específicas. A resolução de um problema percorre a definição de estratégias, trabalho em grupo, tomada de decisões e muito mais.

Por meio da gamificação, o estudante tem a oportunidade de colocar em prática o que foi aprendido e ainda observar quais são as consequências de suas atitudes, antes de realmente realizá-las no mercado de trabalho. Leia também:
Infográfico Gamification: jogos na educação acadêmica e corporativa!

Agora que você já sabe mais sobre as tendências de Tecnologia na Educação, que tal entrar em contato conosco para que possamos te ajudar na implementação delas em sua empresa?

Rolar para cima