Como é ser um estudante digital?

Agregar a tecnologia às práticas pedagógicas é uma realidade que veio para melhorar a aprendizagem.

A educação vem mudando muito nos últimos anos. Passou de um cenário essencialmente tradicional — com métodos antiquados de ensino, aulas puramente expositivas, professor como transmissor do conhecimento, educação verticalizada, quadro negro, pó de giz — para um mundo novo e com tecnologias avançadas.

A grande maioria dos jovens vivencia o mundo digital integrado à sua realidade; não somente à rotina educacional, mas também a vários âmbitos da vida. Assim, a tecnologia tem promovido diferentes tipos de aprendizagem nos mais diversos contextos:

  • educacional/acadêmico: o acesso ao conhecimento está cada vez mais amplo, a um toque de distância, ali mesmo no celular, assim como a EAD vem ganhando cada vez mais espaço e credibilidade;
  • organizacional: o mundo digital também propicia o uso de aplicativos de agenda, com criação de horários e rotinas de estudo;
  • pessoal: as redes sociais possibilitam interação, criando redes de aprendizagem e grupos dos mais variados tipos.

A chegada desse estudante digital veio para desafiar as escolas, os professores e a educação como um todo.

A seguir, abordaremos como é ser um estudante digital, a importância do uso de novos recursos tecnológicos na educação e algumas dicas para estudar nesses novos moldes. Vamos lá?

O nativo digital, o estudante digital

A expressão “nativos digitais” surgiu em 2001, criada por Marc Prensky, especialista americano na área da educação. Os nativos digitais cresceram em frente a computadores, videogames, smartphones e outros eletrônicos, o que impactou sua formação e vida como um todo.

Lecionar ao estudante digital implica muitas mudanças e desafios aos educadores, pois não se aprende mais como antigamente: por meio de livros impressos e enciclopédias. Muito pelo contrário, o bombardeio de informações ocorre o tempo todo e ali mesmo, na palma da mão. Portanto, agregar tecnologias à educação não é mais uma opção, é um fato.

Os nativos digitais têm vasto acesso aos conteúdos na internet, o que deixou o papel do estudante passivo e do professor que sabe tudo, literalmente, no passado. Por isso, a aplicação da tecnologia em concomitância com a didática é fundamental para aumentar o dinamismo das aulas e despertar o interesse do estudante digital.

A prática pedagógica da atualidade necessita que os professores saibam integrar a tecnologia aos novos moldes educacionais, usando-a como uma aliada no processo de ensino-aprendizagem.

Uso da tecnologia no meio educacional

O papel da escola sempre foi preparar o aluno para o mundo e para a vida. Esse papel não mudou, mas precisou e sempre precisará se atualizar.

Em um mundo dominado pela tecnologia, torna-se impensável manter a educação à moda antiga. A tecnologia pode e deve ser utilizada no meio educacional, aliada às práticas de ensino e ao projeto pedagógico da instituição e do conteúdo em si.

Para Günther Mittermayer (apud ESTEVES, 2020), especialista em TI, a educação do futuro

[…] não depende de dispositivos sofisticados ou projetos caros e, definitivamente, não vem de migrar a sala de aula para o virtual. A escola precisa repensar a forma de ensinar, porque é onde preparamos os alunos para a vida. […] é sobre práticas mais modernas de pedagogia, que estão moldadas de um jeito que a tecnologia faça sentido.

 

Quando se fala em tecnologia que faça sentido na educação, é essencial educar para que o estudante digital saiba discernir a informação correta das inúmeras fake news, e também entender que a internet não é apenas composta pelos aplicativos Facebook, WhatsApp e Instagram. Além disso, é fundamental para o estudante compreender que o Google não é a única fonte de informações.

Desse modo, a discussão de hoje não é sobre usar ou não as tecnologias educacionais, já que elas estão aí e são uma realidade, mas é saber qual a melhor forma de usufruir a tecnologia da educação e como alfabetizar os estudantes digitais de forma que desenvolvam o letramento digital.

 

Como o estudante digital constrói o conhecimento?

Com tanta disponibilidade de informações e diferentes formas de aprender, o estudante digital constrói seu conhecimento por diversos meios:

  •  textos em leitores digitais (e-readers);
  • vídeos educacionais em canais do Youtube;
  • podcasts de conteúdos escolares;
  • pesquisas de forma autônoma em mecanismos de busca.

Os estudantes digitais têm um perfil muito peculiar: pouca paciência e consequentemente dificuldade de concentração. Assim, uma abordagem mais direta do conteúdo é algo que eles valorizam muito.

Dicas para ser um estudante digital focado e com desempenho positivo

Se você é um estudante digital e quer aumentar seu foco, ou se você é pai ou mãe de um estudante digital e quer que ele progrida nos estudos, fique atento às dicas a seguir.

O primeiro passo é estabelecer horários e tópicos específicos para estudar, além de ter uma rotina de estudos, combinando conteúdo digital e conteúdo impresso.

  • Tente unir o útil ao agradável. Se você passa muitas horas nas redes sociais, procure grupos ou páginas do Facebook, por exemplo, sobre um conteúdo que tenha dúvidas e converse com a comunidade para trocar conhecimentos e compartilhar o aprendizado.
  • Selecione conteúdo relevante e de fontes confiáveis — na dúvida, questione o professor e peça indicações de sites com informação verificada e veraz.
  • Busque alternativas lúdicas como jogos e afins para conteúdos que você tem dificuldade de entender. Dessa forma, será mais descontraído e divertido aprender!

As possibilidades são muitas, mas é preciso foco, organização, gestão do tempo e uma dose de disciplina para não se perder nas informações e em tarefas improdutivas.

Tecnologias para o estudante digital

Quer saber como implantar tecnologias para seu estudante digital? Então fale com quem entende do assunto e tem muita experiência em soluções educacionais!

A DTCOM possui um amplo portfólio acadêmico com material pronto para ampliar os horizontes educacionais da geração de estudantes que está inserida no mundo digital. Estamos sempre nos atualizando com novos conteúdos e abordagens de ensino, contribuindo, assim, para que a educação e a tecnologia andem juntas e evoluam constantemente.

Referência
ESTEVES, A. C. Como a tecnologia está moldando o futuro da educação no Brasil e transformando a sala de aula. Zedd Brasil, [S.l.], 24 abr. 2020. Disponível em:
https://www.zeddbrasil.com/como-a-tecnologia-esta-moldando-o-futuro-da-educacao-no-brasil-e-transformando-a-sala-de-aula/. Acesso em: 27 ago. 2020.

Rolar para cima