6 dicas para oferecer cursos com 20% de carga horária a distância

6 dicas para oferecer cursos com 20% de carga horária a distância

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

As perspectivas de crescimento da Educação a Distância não são animadoras apenas para quem já atua no segmento com ensino 100% virtual ou na modalidade semipresencial. Mesmo as Instituições de Ensino Superior que ainda não oferecem cursos a distância podem investir de olho na estimativa de que em 2023 a graduação online será maioria em comparação com a presencial, conforme o último censo da ABED (Associação Brasileira de Ensino a Distância). E mais do que isso: na possibilidade real de atrair mais alunos e vender mais cursos com EAD incluído e facilitando o processo de aprendizagem pelas vantagens que proporciona.

Quem ainda não investe na área pode começar oferecendo 20% de carga horária a distância, ainda que o limite tenha sido dobrado no final de 2018 – o que pode servir de motivação para um passo posterior no caso das IES que estão iniciando seus investimentos na área.

 

20% de carga horária a distância para primeiros investimentos

A liberação para que as IES oferecerem pelo menos 20% de EAD surgiu ainda no governo FHC, por meio de portaria assinada pelo então ministro da Educação, Paulo Renato de Souza, em outubro de 2001. O objetivo na época era estimular o surgimento de programas de ensino a distância no país. Posteriormente, foi atualizada no governo Lula. Hoje, com o EAD consolidado e em expansão, para a IES que deseja ingressar na área o recomendado é começar com a carga mínima até para que a infraestrutura, a rotina e a dinâmica de trabalho sejam moldadas como uma primeira experiência e que isso sirva de parâmetro para crescer futuramente.

 

Saiba mais sobre Educação a Distância

Educação a Distância

O caminho para oferecer 20% de carga horária a distância deve começar por um “mergulho” no segmento da Educação a Distância. Deve-se buscar informações que ajudem a entender as características e o funcionamento de um curso que conte também com conteúdo online. Isso é importante para que os investimentos não sejam feitos no escuro e, ao mesmo tempo, as escolhas técnicas sejam as mais acertadas possíveis.

Para saber mais, baixe o e-book: Como estruturar uma EAD de Sucesso que traz as informações essenciais para a IES que deseja investir em EAD (clique aqui). Além disso, nesta etapa, informe-se também quanto aos requisitos para o credenciamento da instituição como provedora de EAD. As informações constam no site do MEC.

 

Planejamento para ingressar no EAD

As informações sobre EAD servem de base para que a IES possa fazer o planejamento em torno da oferta de 20% de carga horária. Junto com isso, é importante considerar pontos relacionados ao desenvolvimento de um novo produto. Isso inclui uma análise interna e externa para verificar pontos fortes, pontos fracos, oportunidades e ameaças. Assim, pode-se traçar as ações que vão colocar em prática a oferta do conteúdo online. Isso inclui a definição dos investimentos necessários e, importante, o cronograma com os prazos para a conclusão de cada etapa. Ou seja, não tenha pressa nem tente implantar a novidade de sobressalto.

 

Informações sobre potenciais alunos

Quando estiver planejando a oferta dos 20% de carga horária a distância dedique atenção especial ao comportamento dos alunos. É importante conhecer hábitos e identificar pistas que mostram se há ou não interesse e disposição de fazer um curso que associe aulas presenciais com conteúdo online.

Um termômetro pode ser medido com os atuais alunos da IES. Desenvolva ações em que eles sejam estimulados a responder questões sobre EAD.

Nas perguntas, aponte diferenciais, vantagens e benefícios e procure identificar grau de familiaridade com ferramentas e plataformas virtuais. Saber se teve experiência anterior com Educação a Distância e que opinião tem a respeito da modalidade também pode ser de grande utilidade para entender o perfil do público-alvo.

 

Escolha dos cursos com carga horária a distância

Da mesma forma que a decisão de ingressar na área de EAD não deve ser radical (ou seja, a IES não fará uma migração de modelo), deve-se ponderar quais cursos terão 20% de carga horária a distância. Uma alternativa é eleger um curso que já consta na grade e avaliar o potencial para ter 80% presencial e 20% online.

A escolha pode ser por um curso que não seja dos mais procurados, mas que a IES considere ter potencial de crescimento. Seria uma opção para testar a oferta de EAD com a possibilidade de posteriormente analisar o antes (sem a carga horária a distância) e o depois (com a carga horária a distância).

Mas a IES pode também decidir pela criação de um novo curso com as novas características. Neste caso, a escolha é duplamente inovadora: por causo do modelo híbrido e pela oferta de um novo curso. Uma possibilidade aqui seria a IES fazer um benchmarking, observar instituições concorrentes para avaliar o que é oferecido e em quais nichos é possível e mais interessante investir.

 

A importância do material didático

O material didático nos cursos de EAD tem merecido cada vez mais atenção. São cada vez mais importantes pelo conteúdo em si, mas também pelo o que representa junto aos alunos. Se não tem qualidade, se trazem falhas ou são pouco atrativos, a IES corre o risco de ver o índice de evasão ultrapassar todas as expectativas. Por isso, uma opção é procurar por referências no mercado e identificar fornecedores de qualidade e com alto custo-benefício.

A importância do material didático

A plataforma de gestão e produção de conteúdo WayCO, desenvolvida pela DTCOM, pode ser a opção ideal para a IES que está querendo ingressar no EAD. Uma das vantagens é possibilidade de utilizar as Disciplinas Digitais ou o acervo de material didático com mais de 6 mil temas existentes na plataforma, que podem ser customizados de acordo com a ementa do curso. A IES e o coordenador do curso acessa a WayCO e faz a seleção dos materiais didáticos que pretende utilizar.

É uma opção que agiliza o processo de concepção de carga horária online e reduz consideravelmente os custos com produção de conteúdo, podendo representar uma redução também no valor da matrícula, o que funciona como mais um atrativo para novos alunos.

 

De olho nas tendências de EAD

A partir do momento em que a IES decide investir em EAD não pode mais deixar de acompanhar tudo o que ocorre no mercado. Começa lá no início no planejamento e deve continuar mesmo depois de ter um ou mais cursos com 20% de carga horária a distância implantados.

Isso é importante por se tratar de um começo de processo, uma primeira experiência com EAD e ajuda a identificar possíveis mudanças de rumo ou ajustes a partir do que é tendência. Tome como exemplo o crescimento do Ensino Híbrido e o potencial do mobile learning, que são oportunidades que podem ser exploradas tão logo a IES comece a ter presença no mercado com seus cursos com 20% de carga horária a distância.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Cadastre-se na nossa Newsletter

Aceito receber e-mails da DTCOM. Não se preocupe, não enviaremos spam.

Deixe uma resposta