Esqueceu sua senha?

Portal Competência

9 de maio de 2014
Saúde e Segurança no Trabalho


Vacinação Ocupacional

Ação é estratégica contra a gripe, uma das principais causas de absenteísmo no trabalho

Vacinacao_Ocupacional

Em tempos de outono e inverno, quando as temperaturas começam a baixar, não é raro encontrar uma mesa vazia no ambiente de trabalho. O motivo? A gripe que atingiu mais um colaborador da empresa. Sim, ela está entre as principais causas de absenteísmo profissional por motivo de doença (dados OMS). Para combatê-la, as campanhas de imunização empresarial se mostram uma estratégia eficaz.

Espirros, tosses, nariz escorrendo, irritação na garganta, dores de cabeça, abatimento físico. Se estes sintomas não levam o profissional a ficar de molho, por certo comprometem seu desempenho no trabalho. Conscientes deste quadro, empresas têm se transformado em verdadeiros postos de vacinação, aderindo a campanhas de imunização.

A razão é forte: é mais barato prevenir. Isso revela a Organização Mundial da Saúde. Segundo estudos da OMS, para cada dólar que as empresas gastam em prevenção de doenças, há uma economia de 60 dólares em tratamento de saúde.

Além de contribuir com a qualidade de vida e a produtividade dos trabalhadores, especialistas garantem que essas iniciativas ainda funcionam como ações motivacionais. “É um investimento capaz de fazer com que os colaboradores se sintam mais valorizados e satisfeitos no ambiente de trabalho”, reforça o médico Luiz Alberto Verri, diretor da Clínica Previna de Vacinação.

Como orientações às empresas, Verri lembra que no caso da vacinação contra o INFLUENZA, vírus causador da gripe, o ideal é que a empresa ofereça sua aplicação anualmente. “Isso porque o vírus muda e, em consequência, a própria vacina sofre alterações a cada ano”, enfatiza.

Sobre questões estratégicas envolvendo a vacinação ocupacional, o médico da Previna ainda recomenda: “a implantação dos programas de vacinação nos ambientes corporativos  deve envolver  a conscientização dos funcionários para que haja maior adesão”.

E para as empresas que desejam se comprometer ainda mais com a prevenção de doenças entre seus colaboradores, a Clínica de Medicina Preventiva do Pará lincou ainda outras vacinações que podem ser inclusas em campanhas de imunização empresarial:

  • Hepatite B: complica-se com cirrose, câncer e até óbito, antecipando a perda precoce de funcionário treinado.
  • Hepatite A: afasta o funcionário de suas atividades por 45 dias ou mais, além de evoluir para óbito em cerca de 1% dos casos.
  • Varicela: afasta o funcionário por pelo menos duas semanas além de poder complicar-se frequentemente
  • Rubéola: pode se disseminar rapidamente em uma população de trabalhadores e seus familiares.


Redação, Portal Competência