Esqueceu sua senha?

Portal Competência

13 de agosto de 2013
Carla Virmond Mello


Um Mundo sem Empregos?

O que pode ser feito, se trabalhar é preciso?

Um-Mundo-sem-Empregos

O conceito de emprego surgiu no começo do século XIX por causa do trabalho que precisava ser feito nas fábricas, principalmente nas nações em fase de industrialização. Antes disso, as pessoas também trabalhavam porém, em grupos mutáveis de tarefas, em uma variedade de localizações, com uma programação determinada pelo sol, pelo tempo ou pelas necessidades do dia. O emprego moderno foi uma idéia assustadora, desagradável e até socialmente perigosa. Alguns se referiam aos empregos como “escravidão assalariada” mas, o que se iniciou como controvérsia, tornou-se uma ortodoxia: somos viciados em emprego.

Atualmente, embora as estatísticas apontem para um crescimento no número de empregos, a verdade é que os empregos bons e seguros, continuam a cair. O mundo do trabalho mudou, a idéia de emprego criada na época da Revolução Industrial, não tem sincronismo com as forças tecnológicas e econômicas de hoje.

 

O que pode ser feito, se trabalhar é preciso?

Sem dúvida temos que nos livrar do vício do emprego, repensar nossas atividades profissionais e o nosso entendimento de trabalho.

Na minha experiência com planejamento de carreira para estudantes e profissionais, tenho procurado enfatizar a importância de se identificar o que se faz melhor, se ver como uma empresa com muitos ativos e também, a importância de ser criativo, inovador. Cabe sempre a pergunta, – “o que posso fazer com isso?”, “como algo pode ser melhorado?”. Esses questionamentos servem para tudo, desde um curso de graduação, até um produto ou serviço já existente.

Empreender um negócio é uma alternativa que merece atenção quando o assunto é carreira. Há muitas oportunidades para ser o seu próprio patrão e o Brasil deu um grande salto neste sentido, nos últimos anos. Sendo hoje o terceiro país mais empreendedor do globo, com um destaque para o empreendedorismo feminino e para o importante crescimento nos empreendedores por oportunidade – que traz o negócio planejado, nascido da identificação de uma oportunidade e que, no fim das contas, é o que gera empregos para terceiros.

A luta agora é por fazer com que os empreendimentos durem, uma vez que ainda cerca de 30% não sobrevive ao segundo ano de existência, para isso um bom planejamento e idéias inovadoras são essenciais. Pesquise em sua localidade os órgãos e instituições que dão suporte ao empreendedor. Há ainda vários estudos sobre novos negócios com tendência de crescimento para os próximos anos.

O empreendedorismo é sem dúvida a melhor alternativa para enfrentar um mundo sem empregos, e ao mesmo tempo o maior gerador de empregos em um mundo sem trabalho.

O importante é estar atento às oportunidades, manter um espírito curioso e saber medir ousadia e cautela, mas sobretudo acreditar que é possível e que as idéias começam com um sonho – “Se é possível sonhar, é possível realizar” . Quem disse isso foi Walt Disney e ao que tudo indica, se deu muito bem. 



Carla Virmond Mello

Diretora da consultoria Lee Hecht Harrison|DBM para região sul do Brasil; Consultora de Carreira e Coach Vice-Presidente da International Coach Federation – Capítulo Paraná.