Esqueceu sua senha?

Portal Competência

28 de agosto de 2013
Andréa Schoch


Storytelling funciona para educação corporativa a distância?

A história de Pedro

Storytelling funciona para

A história de Pedro

Um dia desses, conversava com um aluno de educação corporativa a distância da Dtcom chamado Pedro. Ele me disse que acabara de cursar uma série sobre o tema “Atendimento Eficiente ao Cliente” e que estava maravilhado com o que havia aprendido.

Eu, curiosa e pesquisadora de metodologias de educação corporativa, não me contive e fui logo perguntando: “O que foi mais significativo para você nessas aulas?” Ao que ele prontamente respondeu: “As histórias… o professor-palestrante contou histórias de atendimento ao cliente que muito me impressionaram, algumas vezes pude me colocar no lugar de quem atendia o cliente, em outras, me coloquei no lugar do cliente e, confesso, bateu fundo. Eu não teria aprendido de forma tão intensa se, ao invés de contar a história, ele apenas explicasse o que é que devemos ou não fazer.”

Ouvindo Pedro contar a sua experiência, eu vibrei, pois acredito plenamente nas possibilidades de aprendizagens significativas advindas da Storytelling, isto é, da arte de contar histórias.

Elas funcionam mesmo, por alguns motivos que destaco abaixo:

  • Histórias são repletas de experiências vividas
  • Elas ativam o lado direito do nosso cérebro, principalmente a imaginação e o sentir, e por isso mesmo perpassam o nosso emocional, gerando significados que perduram;
  • As vivências dão significado à aprendizagem, e nós acabamos sempre nos lembrando de uma história parecida, ou de fragmentos de situações que já ocorreram conosco, solidificando o que está sendo aprendido;
  • Histórias são um prazer pela forma como são descritas, pelos seus elementos-base: protagonistas;  antagonistas; conflitos; dramas; começo, meio e fim;  entre tantos outros elementos. A história é parecida com a realidade da vida, por vezes é a própria realidade contada.
  • Os cursos de memória apontam a técnica da história como eficaz para guardar informações importantes.

 

Portanto, diante dos argumentos apresentados, não há o que questionar, essa estrutura de narrativas funciona mesmo, e como educadora corporativa eu recomendo!

Enfatizo, ainda, que a aprendizagem pode ser muito mais significativa e prazerosa se a história fizer parte dela. Inclua emoção, riqueza de detalhes e gere muito conhecimento e sabedoria ao seu processo de desenvolvimento de pessoas.

Até a próxima semana, com mais histórias…

Abraços.

 

Veja Também: “Mais sobre Trans mídia”



Andréa Schoch

Andréa Schoch é mestre em Educação pela PUC/PR, especializada em Educação a Distância. Trabalha há 20 anos com educação formal e há 15 anos com educação corporativa. Foi bolsista da Capes e pesquisadora do CNPq. Aprecia a psicologia, tem fé na vida, acredita na possibilidade de desenvolver pessoas via educação. Trabalha há seis anos na Direct to Company (Dtcom), empresa líder em capacitação a distância.