Esqueceu sua senha?

Portal Competência

22 de dezembro de 2014
Jorge Matos


A síndrome do Super Homem

Esse perfil é conhecido por conter características muito conflitantes umas com as outras

A síndrome do Super Homem

Em sua 1ª edição, a pesquisa Talento Brasileiro, realizada pela ETALENT, constatou que quase 80% das vezes em que os executivos são chamados a construir o talento de profissionais que deverão fazer parte de suas equipes, acabam por desenhar um perfil que denominamos de Super Homem. Esse perfil é conhecido por conter características muito conflitantes umas com as outras, em uma mesma pessoa, sendo alguém diferente do comum.

Esse fato ocorre porque as respostas dadas ao questionário para a construção dos cargos – que visa definir as competências comportamentais exigidas para o exercício de uma função – tendem a ser, em sua maioria, superdimensionadas nos quatro fatores DISC. O perfil que se caracteriza por apresentar todos os fatores DISC altamente desenvolvidos ficou conhecido pelo nome de Overshift, que contém as mesmas características do tal perfil Super Homem.

Pode parecer estranho, mas desejar que pessoas sejam simultaneamente Dominantes, Influentes, Estáveis e Conformes é muito mais comum do que imaginamos, principalmente no ambiente profissional, onde muito se exige que os indivíduos tenham “superpoderes”, reunindo por sua vez qualidades impossíveis de agrupar num único ser humano.

Por exemplo, pessoas com perfil Dominante, as chamadas Alto D, são pessoas mais diretas, independentes e algumas vezes podem até lhe faltar um pouco de paciência que é, por sua vez, um dos fatores marcantes do S, o eStável, conhecido também pela consideração e persistência. O mesmo contraponto acontece com o fator C, de Conforme, marcado por sua exatidão aos detalhes, perceptividade e introspecção, enquanto o I, de Influenciador, tem como marcas principais a sociabilidade, comunicação e menos atenção aos detalhes, com mais atenção ao geral. No entanto, devido a essas diferenças marcantes, um perfil com todos os fatores altos não faria muito sentido devido às diferenças encontradas nas particularidades presentes em cada fator. Além disso, o melhor profissional não é aquele que possui todas as características altamente desejadas pelo mercado, e sim aquele que consegue casar seus pontos fortes com as verdadeiras demandas do cargo. É o que chamamos de “a pessoa certa no lugar certo”.

Na prática vivenciada pela ETALENT ao longo de mais de 20 anos, e de acordo com os estudos do Dr. Willian Moulton Marston, criador da Teoria DISC, o perfil Overshift representa, invariavelmente, um momento atípico de uma pessoa, que está tentando demonstrar ser capaz de atender a tudo e a todos. Tal situação é um prato cheio para o surgimentode ataques de nervos, estresse e/ou outras doenças psicossomáticas.

Pessoas nessa situação precisam sim de outras pessoas que possam ajudá-las a desacelerar e a restaurar o equilíbrio. Embora exista no mercado pessoas com o perfil Overshift, este Super Homem certamente não é o profissional com o perfil mais adequado a um determinado cargo.

Vale lembrar: sempre apresentaremos pontos fortes e fracos. A dica é saber como trabalhar essas características para desenvolver Atitudes de Alta Performance e preparar o terreno de forma a garantir um futuro pessoal e profissional mais feliz.



Jorge Matos

Mestre em Gestão Empresarial pelo ISCTE / FGV e formação em Administração de Empresas pela Universidade de Pernambuco - FESP-UPE. Atuou como Executivo do Grupo Accor, Grupo Industrial João Santos e IT Companhia Internacional de Tecnologia e executou diversos projetos nas áreas de Gestão Empresarial, Recursos Humanos, Planejamento Estratégico, Gestão de Mudança e Educação, Vendas e Atendimento para empresas. Atualmente, é Presidente da ETALENT, Professor da FGV e Autor do Livro Talento Para a Vida.