Esqueceu sua senha?

Portal Competência

11 de fevereiro de 2014
Jorge Matos


Sim. Não. Talvez. Não sei…

Tomar decisões é um ato que exige reflexão e ponderação

sim nao talvez nao sei

Para muita gente, a hora de fazer escolhas é um dos momentos mais temidos – tanto na vida profissional quanto na pessoal. Tomar decisões é um ato que exige reflexão e ponderação, mas esse processo tem se tornado cada vez mais lento e custoso para grande parte da população brasileira. De acordo com dados da pesquisa “Talento Brasileiro”, que lancei recentemente em parceria com o Vagas.com e a Affero, nosso povo tem dificuldades em dizer não e em tomar decisões. Somos de fácil relacionamento e tentamos resolver problemas rapidamente, mas lentos e imprecisos no quesito escolher.

Optar por uma direção em meio a um mundo de possibilidades diferentes nem sempre é fácil. Mas também não é necessariamente difícil. Por mais que as opções possíveis pareçam todas positivas e coerentes com o que desejamos para o momento, há sempre uma melhor escolha. E esse critério é totalmente subjetivo. Por isso, por mais que seja clichê – há alguns clichês que se fazem necessários – quem tem que tomar a decisão é você. E, nesse processo, a palavra mágica é equilíbrio.

No Brasil, apenas 0,7% dos indivíduos do sexo masculino têm o talento “Impulsionador” – habilidade daqueles que sabem valorizar a individualidade dos integrantes de sua equipe e têm como motivação a orientação de pessoas. Já entre o público feminino, o talento com menor incidência é o Visionário (0,3%), próprio daqueles que têm como grande paixão o futuro, conseguem enxergar adiante e ver novas perspectivas de negócios. A falta de Impulsionadores e Visionários atinge diretamente a capacidade de olhar o futuro, de tomar decisões no presente e de ser objetivo, o que torna o Brasil um país com grande número de indecisos. Falta-nos saber equilibrar.

A indecisão ao extremo pode prejudicar o desenvolvimento profissional. O mercado busca pessoas que sabem o que querem de suas carreiras e conseguem escolher para que lado ir quando surgem as encruzilhadas. Repito: reflexão e ponderação são essenciais, mas é preciso atenção ao controle do tempo que se gastará com o entendimento do que é o melhor para você no momento. Respostas rápidas nem sempre são as melhores, mas o tempo que levamos para defini-las pode mudar o rumo de nossas escolhas. Exercitemos nossa capacidade de decidir. Será um ótimo exercício para a vida!

Até a próxima!



Jorge Matos

Mestre em Gestão Empresarial pelo ISCTE / FGV e formação em Administração de Empresas pela Universidade de Pernambuco - FESP-UPE. Atuou como Executivo do Grupo Accor, Grupo Industrial João Santos e IT Companhia Internacional de Tecnologia e executou diversos projetos nas áreas de Gestão Empresarial, Recursos Humanos, Planejamento Estratégico, Gestão de Mudança e Educação, Vendas e Atendimento para empresas. Atualmente, é Presidente da ETALENT, Professor da FGV e Autor do Livro Talento Para a Vida.