Esqueceu sua senha?

Portal Competência

13 de agosto de 2013
Qualidade de Vida


Seu colaborador se alimenta bem?

Como e por que cuidar dos hábitos alimentares dos profissionais da sua empres

Seu colaborador se alimenta bem

Dificuldade de concentração, irritabilidade, sonolência, sensação de fraqueza e até tonturas. Esses são alguns dos sintomas que atingem profissionais com hábitos alimentares desequilibrados. Não há como separar uma coisa da outra. Pessoas que se alimentam mal e de maneira desregulada sentem os reflexos durante o expediente. Algumas organizações já estão sensíveis às vantagens que refeições saudáveis geram no desempenho de um profissional. Diante disso, os investimentos em nutrição empresarial e as opções de serviços nessa área têm crescido significativamente.

A nutricionista da Quality Care Nutri, Vanessa Colere Andreata, é especializada em alimentação e saúde de coletividades. Ela defende a ingestão de alimentos ricos em nutrientes e uma refeição realizada com tranquilidade em prol da produtividade no trabalho. “São diversos os hábitos alimentares que interferem na atuação profissional. Ficar muito tempo sem comer, ingerir alimentos gordurosos e com excesso de açúcar, fazer a refeição com pressa e sem mastigar direito são alguns deles”, explica Andreata.

Para evitar problemas como os citados acima, algumas organizações têm investido na instalação e administração de restaurantes localizados dentro da estrutura da empresa. De acordo com dados da Associação Brasileira de Refeições Coletivas (ABERC), o setor de restaurantes corporativos tem crescido de maneira expressiva desde 2000. Segundo a ABERC, só em 2012, o segmento movimentou R$ 15,1 bilhões, o que significa um incremento superior a 12% no mercado de refeições empresariais.

A nutricionista da Exal – Excelência em Alimentação, Thalita Soares, destaca, porém, que não basta às organizações oferecer refeições dentro da empresa, é preciso que esta alimentação seja preparada com cuidados especiais. “Os cardápios devem ser desenvolvidos de acordo com as exigências do PAT – Programa de Alimentação do Trabalhador. Devem levar em conta todos os quesitos exigidos de nutrientes e diversidade de alimentos. Empresas que agem assim são relevantes para o mercado, pois mostram que se preocupam com a saúde e a qualidade de vida de seus colaboradores”, acentua Soares.

Para as empresas que não possuem estrutura de restaurante corporativo, há outras maneiras de zelar pela alimentação de seus profissionais. O oferecimento de um vale alimentação que possibilite uma refeição de qualidade é uma delas. Palestras sobre hábitos nutricionais saudáveis e consultorias com nutricionistas também são opções.



Redação, Portal Competência