Esqueceu sua senha?

Portal Competência

3 de outubro de 2014
Educação Corporativa


Quando valores pessoais refletem na atuação profissional

Cultivar virtudes universais entre os colaboradores implica em resultados para as empresas

Quando-valores-pessoais-refletem-na-atuacao-profissional

O que você faz quando ninguém está olhando? As atitudes realizadas longe dos olhares alheios refletem o caráter e a honestidade de um indivíduo. Na área profissional, virtudes éticas pessoais podem interferir no desempenho de um trabalho. Esse é o tema de uma série de cursos pertencentes à programação de outubro da Dtcom – Educação e Comunicação Corporativa. Entre os palestrantes destes treinamentos, está a psicóloga e consultora organizacional Sílvia Osso. Ela fala sobre a ética das profissões e organizações e como orientam e estabelecem diretrizes de condutas dignas de seus profissionais.

As regras básicas de uma empresa norteiam o comportamento de seus colaboradores e unificam os princípios que devem ser seguidos por eles. “As normas de conduta geralmente estão ligadas ao bom senso e à honestidade das relações estabelecidas comercialmente. A ética é um consenso geral que busca sempre pelo bem e pela verdade”, comenta Maria do Carmo Whitaker, advogada e consultora na área.


 Saiba mais em: Ser e Estar


Segundo Maria do Carmo, quando se fala em ética, não é possível separar o pessoal do profissional.  A especialista ressalta que, se uma pessoa não é honesta com a sua família e/ou costuma ter desvios morais, há chances de ela agir da mesma maneira em seu ambiente de trabalho. Bons costumes, segundo a advogada, estão ligados a virtudes, como: querer bem ao próximo, não levar vantagem a qualquer custo, não roubar, agir de forma responsável, ser leal etc. São valores pessoais que os profissionais carregam para dentro das organizações.


Saiba mais em: Um fim às fofocas corporativas


As empresas, por sua vez, estabelecem seus próprios códigos de éticas para conduzir os funcionários a agir de maneira correta. “Trata-se de um instrumento de realização dos princípios, visão e missão da empresa. Serve para orientar as ações de seus colaboradores e explicitar a postura social da empresa em face dos diferentes públicos com os quais interage. É de máxima importância, portanto, que seu conteúdo seja refletido nas atitudes das pessoas a que se dirige e encontre respaldo na alta administração da empresa”, explica Maria do Carmo.

Manter sigilo e exercer o conhecimento de forma responsável podem estar entre as virtudes esperadas pelas empresas, de acordo com os cargos ocupados nas organizações. “Atitudes éticas são práticas que remetem aos bons comportamentos. Não faça nada que não possa assumir em público, trabalhe baseado em fatos, cuide das informações confidenciais da sua empresa, avalie os riscos das decisões e meça as consequências das suas atitudes. Agir de maneira impensada pode custar caro”, finaliza Sílvia Osso, palestrante da Dtcom.



Redação, Portal Competência