Esqueceu sua senha?

Portal Competência

20 de agosto de 2013
Recursos Humanos


Profissionais autogerenciáveis

Conheça mais sobre a cultura do autogerenciamento e incentive-a na sua empresa

Profissionais-autogerenciaveis

Já imaginou ter um quadro de colaboradores que não precisam ser cobrados por resultados? E um grupo de executivos que não acionam seus líderes por qualquer problema, mas resolvem os conflitos com autonomia? Essas são algumas das características dos profissionais autogerenciáveis – o sonho de qualquer gestor. Saiba como desenvolver essa cultura na sua empresa.

“Os líderes ficam mais livres das ações operacionais para cuidar das estratégias organizacionais, deixam de apagar incêndios e passam a exercer apenas uma investigação colaborativa”. Essa é uma das grandes vantagens do autogerenciamento na visão de Jairo Martiniano. Psicólogo e coach com mais de 20 anos de experiência em Gestão de Pessoas, Jairo é especialista no desenvolvimento de equipes autogerenciáveis e formação de líderes.

Martiniano destaca que, para formar equipes autogerenciáveis, é preciso que o RH e os líderes da empresa identifiquem indivíduos que apresentem potencial para trabalhar inseridos nesta cultura. “São as pessoas que fazem bem o seu trabalho, tem foco na solução e não procuram culpados, assumem os erros, são pontuais, tem comprometimento com resultados, trabalham bem sozinhos e com seus pares e iniciam e terminam um trabalho motivados”, explica.

Ainda outra orientação fornecida pelo coach diz respeito à formação gerencial da empresa. Sobre isto, Jairo ressalta: “supervisores, coordenadores e gerentes precisam saber lidar com pessoas que vão ser autônomas, ou seja, o perfil do chefe centralizador impede e anula uma cultura do autogerenciamento”.

A implementação de um conceito de Gestão de Qualidade Total também é fundamental para o sucesso de uma cultura do autogerenciamento, de acordo com Jairo Martiniano. “Essa gestão deve ter base no chamado CCQ (Círculos de Controle de Qualidade). Ela formará equipes que apreendem conceitos e ferramentas gerenciais para análise e solução de problemas, bem como estabelecem uma rotina de reuniões para resolverem os conflitos de seus setores”, elucida o psicólogo.



Redação, Portal Competência