Esqueceu sua senha?

Portal Competência

18 de agosto de 2014
Laisa Prust


Prepare-se para a promoção

Fazer apenas a sua função não é suficiente para uma promoção

Prepare_se_para_a_promocao_pc

Muitas pessoas se questionam porque não foram promovidas, apesar de desempenharem muito bem suas atividades – sendo às vezes preteridas por colegas aparentemente menos qualificados tecnicamente.

Cada organização tem seus critérios de promoção, que variam em graus diferentes de meritocracia. Em geral, não podemos generalizar quais são estes critérios, mas pode ocorrer que as pessoas coloquem tanto a sua energia em fazer excepcionalmente bem o que lhe é designado, que seu foco fica voltado unicamente para sua tarefa, perdendo oportunidades de desenvolver também as competências do cargo superior.

Quando houver uma oportunidade de promoção no departamento, seu gestor vai obviamente procurar quem estiver mais preparado para uma gama maior de responsabilidades, não necessariamente escolherá o melhor em sua especialidade. Se o seu objetivo é uma promoção, após certificar-se de que domina as competências do seu cargo, é hora de focar nas do próximo nível.

Se você trabalha para uma organização na qual as competências das posições que compõem o plano de carreira estão claras e acessíveis a todos, seu caminho estará mais claro, mas nem por isso mais fácil. Se as competências do cargo que você almeja não estão definidas ou por algum motivo não estão acessíveis, você precisará aguçar as suas percepções e determinar quais são elas a partir do perfil de quem ocupa o cargo almejado – e também do que é valorizado na organização para a qual trabalha. Em ambos os casos, antes de se lançar em busca das competências que você acredita não ter, peça apoio do seu gestor para vocês definirem, preferencialmente com a ajuda de um profissional de gestão de pessoas, como seria possível avaliar seu potencial e, então, determinar o que precisa e pode ser desenvolvido.

É importante, depois dessa etapa, ter uma visão realista em relação ao quanto é possível desenvolver, pois, não é verdade que com bom treinamento e força de vontade inabaláveis é possível adquirir qualquer talento que não possuímos. Estar ciente das limitações evita perda de tempo e futuras frustrações.

Terminada esta fase, procure expandir seu conjunto de habilidades, fazendo um plano para adquiri-las em parceria com seu gestor. Juntos, definam além do que deve ser desenvolvido, uma forma de medir a eficácia da estratégia adotada para a aquisição da competência. Por exemplo, se a ação envolve fazer um curso para melhorar sua habilidade em apresentações, uma boa forma de medir seria prepará-las conforme as dicas do curso e pedir às pessoas de sua confiança que avaliem sua evolução. Não se esqueça também de estipular prazos realistas e viáveis e… “mão na massa!”.

Porém, caso você perceba que em seu setor as oportunidades para uma progressão na carreira são escassas, comece a avaliar onde você poderia atuar e analise a possibilidade de realizar uma movimentação horizontal – para cargos do mesmo nível, porém em outro departamento. Essa pode ser uma estratégia interessante para aumentar sua visibilidade na empresa e sua apreciação global sobre o que ela faz – por sua vez, serve para incrementar suas possibilidades de gerar valor para a organização à medida em que se capacita para sugerir soluções além do seu âmbito de atuação.

Com esses requisitos, será possível angariar o apoio de seu novo gestor mais facilmente para ele investir em seu desenvolvimento. Em qualquer um dos casos, é preciso certa dose de planejamento e boa preparação, como a maioria dos empreendimentos bem sucedidos. Boa sorte!



Laisa Prust

É psicóloga e mestre em Psicologia pela UFPR, com especialização em Treinamento e Desenvolvimento de Recursos Humanos e Gestão Estratégica de Pessoas pela FAE. Atua na área de RH há mais de 15 anos. Em seu currículo consta também experiência como professora em instituições de ensino superior. Atual membro da diretoria de Projetos e Pesquisas da ABRH-PR. Interessa-se por comunicação assertiva e cultura organizacional.