Esqueceu sua senha?

Portal Competência

13 de agosto de 2013
Qualidade de Vida


Por uma aposentadoria tranquila

RH deve ficar atento aos colaboradores que estão prestes a se aposentar

Por uma aposentadoria tranquila

A aposentadoria é um marco na vida do trabalhador. As mudanças são muitas. Na rotina diária, no orçamento, na atividade social, nas emoções. Alguns colaboradores, quando se aproximam dessa fase, deixam o medo do inesperado refletir em suas responsabilidades profissionais. A queda do rendimento se torna comum em pessoas que passam por esse momento da vida. Diante disso, a intervenção do setor de RH se torna essencial. Ele tem a missão de conscientizar a empresa sobre a importância de investir em ações que gerem uma aposentadoria tranquila.

A preocupação de uma empresa com a aposentadoria de seus profissionais, além de ser uma ação de responsabilidade social, é um investimento no bom andamento dos negócios. José Floro Barros é sócio-diretor da Floro Gerenciamento de Carreira e atua na implantação de projetos de aposentadoria nas organizações. Para o consultor, quando um profissional em fim de carreira se sente amparado pelo RH, ele veste a camisa da empresa até o final. “Essas pessoas preparam seus sucessores e proporcionam uma passagem de cargo tranqüila e estruturada”, explica Floro.

Apesar da relevância dos programas de aposentadoria para a saúde da empresa, uma parcela inexpressiva de gestores investe nessas ações. Isso é o que declara Rejane Giaccomini, diretora da RTS Solução em Gestão de Pessoas, empresa que desenvolve e aplica programas nessa área. “As organizações que mantêm projetos relacionados procuram, inicialmente, envolver o futuro aposentado em uma nova possibilidade de carreira por meio do Assessment. Elas se preocupam em valorizar o profissional que contribuiu com a empresa”, declara Giaccomini.

RH em ação

Além dos conhecidos planos adicionais de aposentadoria que garantem um orçamento equilibrado, diversas outras ações podem ser colocadas em prática pelo RH em prol da pessoa que está prestes a se desligar da empresa. “Existe a preparação financeira, e os planos complementares atendem bem este quesito, mas há também a preparação psicológica. Ela auxilia no planejamento de atividades que permitirão manter a motivação e a autoestima desses colaboradores”, explica o consultor José Floro Barros.

Para Rejane Giacominni, todas as iniciativas em prol de uma aposentadoria saudável devem desenvolver um olhar positivo em relação às inevitáveis mudanças ocasionadas por essa fase da vida. “A preparação deve se dar com cerca de 4 a 5 anos antes do colaborador se aposentar. Nesse período, podem ocorrer atividades sistêmicas envolvendo a família. Palestras de sensibilização, qualidade de vida e elaboração de plano pessoal e familiar são relevantes”, sugere Giacominni.



Redação, Portal Competência