Esqueceu sua senha?

Portal Competência

9 de agosto de 2013
Educação Corporativa


O poder da Andragogia na gestão

Como esse conceito pode auxiliar no treinamento e capacitação de equipes

O poder da Andragogia na gestao

Para fazer com que os colaboradores entendam e assumam a visão da empresa. Para transmitir às equipes novos procedimentos e normas internas. Para ensinar conhecimentos técnicos necessários a uma função específica. Para gerar capacitação. Em todos esses casos é aplicada a educação corporativa, que pode ser entendida como Andragogia. Trata-se de uma teoria que pesquisa os métodos mais eficazes para o ensino de adultos. Por meio dela, os gestores conseguem tirar ensinamentos preciosos para o treinamento de seus liderados.

A Andragogia defende que os adultos não aprendem com as mesmas metodologias de ensino aplicadas às crianças. Sobre isso explica Andréa Schoch, Mestre em Educação que há 15 anos atua no contexto corporativo. “Na educação de adultos, a experiência do aluno conta tanto quanto os saberes do professor. A criança aprende para descortinar a vida, já o adulto aprende aquilo que pode ajudá-lo a enfrentar os desafios e situações reais da vida. A criança é dirigida. O adulto precisa se auto-dirigir” .

Tendo em vista essas diferenças, a Andragogia apoia que o gestor – responsável por treinar a sua equipe – motiva seus liderados quando deixa claro para eles que os conhecimentos que precisam adquirir serão fundamentais para suas atividades práticas e projetos de vida. “É importante que a aprendizagem no contexto organizacional esteja centrada na experiência do adulto e na aplicação do que foi aprendido para solucionar problemas do próprio trabalho. É necessário que o adulto compreenda e participe da elaboração do currículo de capacitação da empresa”, enfatiza Andréa.

A Mestre em Educação e Gestora de Conteúdo da Dtcom, ainda ressalta que a figura do treinador no contexto corporativo é bem diferente da assumida pelo professor da educação infantil que, muitas vezes, estimula a dependência da criança. “No caso dos adultos, existe o facilitador, que é a pessoa que conduz a relação de aprendizagem. Não há dependência do facilitador, há interação. O conhecimento do facilitador e as experiências partilhadas pelos alunos são como uma rua de mão dupla, se integram”, esclarece Andréa Schoch.

Pontos relevantes na educação de adultos

O conceito de Andragogia foi desenvolvido com mais afinco pelo pesquisador americano Eduard Lindeman, durante a década de 20. Em seu trabalho, o estudioso identificou cinco pontos relevantes na educação de adultos:

1) A consciência de que seus interesses serão satisfeitos por meio da aprendizagem estimula os adultos.

2) As situações da vida e suas necessidades devem ser o ponto de partida para o programa de aprendizagem e não disciplinas isoladas.

3) A análise das experiências do adulto é a mais rica fonte de aprendizagem.

4) O professor deve facilitar o processo de investigação do aluno adulto e criar condições para que ele mesmo dirija sua trajetória de aquisição de conhecimentos.

5) A educação de adultos deve considerar as profundas diferenças de perfil de cada aluno e estimular interações. Os adultos aprendem trocando experiências, dando opiniões e ouvindo os outros.



Redação, Portal Competência