Esqueceu sua senha?

Portal Competência

13 de janeiro de 2015
Recursos Humanos


Planos de Saúde em Avaliação

Orientações para contratação ou renovação do serviço pelas empresas

Planos de saúde em avaliação

É possível que ainda haja organizações definindo com quais fornecedores vão trabalhar no decorrer do ano. Os planos de saúde estão entre estes fornecedores que trazem dúvidas às empresas. Luiz Edmundo Rosa, Diretor de Educação da Associação Brasileira de Recursos Humanos, ressalta que os gastos com saúde são a segunda maior despesa de gestão de pessoas, logo atrás da folha de pagamento. Diante disso, é preciso ter cautela na hora da renovação ou contratação dos planos.

Estar atento às regras contratuais de cada operadora de saúde é uma das orientações de Felipe Costa, supervisor comercial da Ciel Consultoria – do Grupo Imtep. Ele alerta que os contratos com operadoras de saúde geralmente têm vigência de 12 a 24 meses. “Se a organização rescindir antes desse período, terá que pagar uma multa. Além do quê, alguns planos renovam o contrato automaticamente, o que exige atenção”, alerta.

Outra questão para ficar atento: os contratos empresariais estipulam um “limite máximo” de custos com a utilização, fixada entre 65 a 75% sobre os valores gerados com o pagamento das mensalidades. “As operadoras entregam com o reajuste, os indicadores de utilização e relatórios de sinistralidade comprovando os custos. É importante que as empresas saibam analisar esses dados”, explica o consultor.

Pesquisar junto aos próprios colaboradores também auxilia na hora de definir com qual plano de saúde manter ou efetivar contrato, de acordo com Costa. “Com os empregados deve-se verificar o nível de satisfação. Assim, é possível considerar se o valor que a empresa paga apresenta a melhor relação custo x benefícios oferecida pelo mercado”.

E não basta apenas escolher o plano empresarial correto para evitar despesas extras com a saúde dos colaboradores. O diretor da ABRH lembra que, junto com a definição acertada da operadora, devem-se planejar ações de prevenção e manutenção da qualidade de vida dos empregados.

“O que as empresas devem fazer é incentivar os colaboradores a assumirem cuidados contínuos com a saúde. Com palestras de nutrição, promoção da atividade física, atitudes inovadoras e corajosas que incentivem as pessoas a cuidarem mais de si. Só com medidas preventivas é que as empresas vão reduzir os custos de planos médicos”, defende Luiz Edmundo Rosa.

 

Saiba mais:

 “Empresas brasileiras de olho na saúde”

 “Vacinação Ocupacional”

 



Redação, Portal Competência