Esqueceu sua senha?

Portal Competência

22 de novembro de 2013
Recursos Humanos


Para tornar um treinamento eficaz

Não basta oferecer capacitação

Para tornar um treinamento eficaz

O investimento das empresas brasileiras em treinamentos internos tem aumentado a cada ano. De acordo com a Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento, a previsão é de que, até o final de 2013, esse crescimento chegue a 15,3%.

Apenas disponibilizar uma série de treinamentos, porém, não é o suficiente para garantir os resultados esperados pela empresa. Abaixo, especialistas sugerem medidas que vão ajudar o RH a potencializar os efeitos dessas ações.

Definir estrategicamente o tema, os conteúdos e a periodicidade dos treinamentos a serem aplicados pela empresa é o primeiro passo a caminho da eficiência.  Segundo a especialista Lais Lamana, a aplicação de treinamentos deve ser consequência de um plano de educação corporativa mais amplo, que esteja atrelado aos objetivos estratégicos da organização.

“A área de treinamento deve atuar com programas corporativos mais robustos para ter foco nas reais necessidades da empresa”, ressalta Lais, que apresenta mais de sete anos de experiência em processos de Educação Corporativa, Gestão do Conhecimento e Desenvolvimento Humano.

Não basta, entretanto, apenas se importar com a definição de tema e conteúdo, também é fundamental atentar para o formato. Isso enfatiza Ana Paula Cunha, Mestre em Psicologia Social e especialista em Desenvolvimento Humano: “um dos erros das empresas é não se importar com a adequação da linguagem utilizada, ela deve estar de acordo com o público alvo”.

A aplicação de treinamentos também não é garantia que os colaboradores vão assimilar todos os conteúdos. Ana Paula enfatiza que os profissionais precisam ser conscientizados sobre o valor agregado da capacitação para se motivarem ao conhecimento, e sugere o investimento em interatividade e metodologias alternativas para despertar a atenção dos profissionais.

“O modelo tradicional de treinamento, onde o professor/instrutor assume a palavra e se coloca como ‘dono do saber’, não é eficaz. O conhecimento precisa ser construído junto com o aluno. Nesse ponto, a criatividade e a inovação fazem a diferença em um treinamento”, ressalta Ana Paula.

Após os treinamentos, Ana Paula também aconselha que o RH sempre avalie os resultados obtidos. “Levantar informações sobre a reação dos colaboradores após o treinamento e também o atingimento dos objetivos propostos é muito importante”, coloca.



Redação, Portal Competência