Esqueceu sua senha?

Portal Competência

14 de janeiro de 2014
Administração


Não se engane. Sua empresa não tem líderes natos

Especialista esclarece: liderança é um conjunto de competências que precisam ser desenvolvidas

Nao-se-engane.-Sua-empresa-nao-tem-lideres-natos

Alguns gestores de RH buscam encontrar profissionais que sejam líderes natos para assumirem cargos estratégicos da empresa. Identificam algumas características em colaboradores da própria organização e acreditam que já estejam aptos a funções de liderança. Tal mentalidade, porém, faz com que as empresas promovam gestores despreparados e acarretam diversos prejuízos aos negócios. Quem esclarece é o especialista em Liderança Executiva e fundador do Instituto de Neuroliderança, Carlos Diz.

De acordo com pesquisa realizada pela ETALENT, em parceria com as consultorias LAB SSJ e Clave, mais de 80% dos profissionais que assumem pela primeira vez papeis de liderança não recebem treinamento das empresas antes de iniciarem em seus novos cargos. O estudo foi aplicado a quatro mil gestores atuantes em empresas de grande porte de setores variados e comprova a mentalidade citada anteriormente.

Segundo Carlos Diz, a raiz de tal problema se encontra, em muitos dos casos, na falta de diferenciação entre aptidão e competência. “Existem pessoas que realmente têm mais facilidade para aprender a exercer liderança, isso é aptidão. Mas se elas não receberem capacitação para desenvolverem essa aptidão, jamais terão as competências necessárias que as tornarão verdadeiros líderes”, explica.

Para Carlos, um líder deve desenvolver competências cruciais, tanto intrapessoais (de autogestão) como interpessoais (de gestão de pessoas): “um profissional que não tem domínio sobre si mesmo e não sabe lidar com sua personalidade, jamais saberá liderar os outros. Ninguém pode ser melhor com os outros do que é consigo mesmo”.

Entre as competências essenciais a um líder citadas pelo fundador do Instituto de Neuroliderança, estão: assertividade, automotivação, capacidade de receber e aproveitar feedback e capacidade de aprender a apreender.

De acordo com Diz, além da aplicação de treinamentos e dos processos de Coaching individual, essas competências são adquiridas pelo o que chama de experiência in job. “Se a empresa deseja que um profissional assuma um cargo de liderança no futuro, este deve conviver com líderes já consolidados por um período. Ele deve passar por situações reais e aprender a lidar com elas na prática, com o apoio inicial dos mais experientes”.



Redação, Portal Competência