Esqueceu sua senha?

Portal Competência

24 de setembro de 2014
Allan Degasperi


Miopia Gerencial

A “miopia gerencial” trata-se da incapacidade de visualizar problemas futuros ou tomar decisões positivas para a empresa

Miopia Gerencial

É muito comum no meio empresarial termos um gerente ou diretor que possua a temida “miopia gerencial” sem que perceba. Será que você como gestor possui essa “patologia”?

O Hospital de Olhos Paulista define miopia como uma anomalia refrativa ocular que gera uma dificuldade em enxergar objetos de longe. Isso ocorre devido aos raios luminosos não convergirem próximo a retina. Essa anomalia proporciona uma dificuldade em discernir as formas distantes.

O termo “miopia gerencial” surge com a comparação das ações de alguns gestores e a incapacidade de visualizar as situações de problemas futuros ou tomar decisões que possam alavancar a vantagem competitiva da organização no mercado.

Os sintomas da miopia são: visão turva, frequente pestanejar, vista cansada e consequentemente dor de cabeça. No mundo empresarial, esses sintomas remetem a qual situação? Se pensarmos bem, os sintomas da miopia são muito parecidos ou idênticos à má administração proveniente dos gestores.

Em muitos casos, ocorre a “miopia gerencial” quando o gestor encontra-se despreparado para assumir a função, ou não deseja enxergar os fatos, tendo assim a “miopia gerencial proposital”, isto é, dentro de uma situação que deve ser analisada minunciosamente pelo gestor, o mesmo se faz de “cego” e não toma a postura necessária para liderar sua equipe assumindo os riscos dos processos decisórios.

O gestor que possuí a “miopia gerencial” tem como maior característica ignorar a situação problemática “empurrando-a para debaixo do tapete”, ignorando os envolvidos nessa situação, suas opiniões e posturas, ignorando a causa geradora da situação e os possíveis reflexos que essa situação problemática possa causar.

Isso é comum em casos de conflito organizacional, “brigas” de poder e falhas na comunicação interna e externa da empresa, pois os gestores resolvem “deixar de lado” pequenas situações que, futuramente, promoverão conflitos maiores no ambiente corporativo, alcançando os níveis de produção, relacionamento, controle e até qualidade.

Como possível solução, sugerimos que os gestores analisem com calma e livres de qualquer tipo de crítica ou preconceito, os reflexos da sua postura na ação dos seus colaboradores. Somente assim conseguirão perceber se a visão que estão tendo da empresa e dos processos é a mesma que a vivenciada pelos seus colaboradores.



Allan Degasperi

É professor universitário, administrador de empresas, especialista em “Educação a Distância” e em “Docência e Pesquisa no Ensino Superior”. Pesquisador do ramo de inovação e educação a distância, e autor de cursos de atualização nessas áreas. Possui artigos publicados em congressos e periódicos. E realizou a produção técnica no livro “Qualidade de Vida e Desenvolvimento Sustentável em Santos” edição revisada que será lançado em 2014. Contato por meio do e-mail allan.dnox@gmail.com.