Esqueceu sua senha?

Portal Competência

13 de novembro de 2014
Qualidade de Vida


Mais atenção às famílias em 2015

Bem-estar vindo das relações familiares influencia na vida profissional

Mais atenção às famílias em 2015

Para quem quer ser bem sucedido profissionalmente, se dedicar apenas à carreira nem sempre é o caminho! A organização americana Families and Work Institute é uma entidade sem fins lucrativos que pesquisa as relações entre vida familiar e no trabalho. Segundo estudos do Instituto, parcela expressiva da população só se sente motivada e bem sucedida realmente, se as relações familiares caminham de maneira saudável.

Quando questionadas sobre o que as faz se sentir bem e determinadas, 26% das mulheres e 27% dos homens entre as pessoas consultadas pelo Families and Work em todo o mundo responderam de imediato: passar tempo junto com a família e ter boas relações com ela. Ainda outros 22% das mulheres e 8% dos homens acrescentaram que ter filhos bons, ajustados e saudáveis é fundamental para o bem estar e a motivação.


Saiba mais em: A arte de conciliar vida pessoal e profissional


Tal descoberta não é tão recente. Na pirâmide das necessidades humanas desenvolvida pelo psicólogo Abraham Maslow, a família também ocupa lugar de destaque. Logo após as carências fisiológicas, que são a base da pirâmide, vêm a segurança e os relacionamentos, tópicos onde a família se inclui.   Sem contar que, no que diz respeito à autoestima e à realização pessoal, pontas da pirâmide, a família também têm interferência significativa – segundo o próprio psicólogo.

A diretora da IAPSIC – Psicologia Organizacional, Paula Cometti Girardeli, reconhece a influência que relacionamentos familiares saudáveis têm no contexto profissional. Ter uma boa relação com a família tem um impacto expressivo na carreira. Segundo Paula, trata-se de um fator capaz até de determinar a permanência de um colaborador em uma empresa e, portanto, deveria receber mais atenção das organizações.

“Uma boa estratégia para as empresas neste sentido, é oferecer aos seus colaboradores cursos para o desenvolvimento de competências individuais que vão ajudar o profissional a se relacionar melhor com a família. Disponibilizar atendimento clínico dentro da empresa para amparar funcionários em conflitos familiares mais complexos também é uma ação eficaz”, sugere Paula, que também é psicóloga organizacional.

O administrador de empresas Edilson Santos já sentiu na pele o quanto a família é capaz de influenciar os destinos de uma profissão. Edilson já foi separado de sua esposa por conta de uma rotina profissional agitada e, ao reatar seu casamento, optou por mudar os rumos da sua carreira a fim de ter mais tempo em dedicação à família.


Saiba mais em: Abra suas portas para as famílias


“Quando saí do trabalho que tinha em uma companhia de telecomunicações, recebi uma ótima proposta de outra empresa do segmento. Mas como teria que trabalhar em outra cidade e ficar longe da minha família a semana inteira, decidi negar e aceitei atuar junto à minha esposa na empresa da qual ela é sócia”, explica o administrador.

Edilson diz não se arrepender da escolha: “boa parte do salário que eu tinha antigamente eu gastava com remédios e médicos, pois por conta do estresse estava com vários problemas de saúde. Em contraponto, eu percebi que o sonho de ser um grande homem de negócios, me faria deixar de viver coisas importantes ao lado de quem eu amo”.



Redação, Portal Competência