Esqueceu sua senha?

Portal Competência

13 de agosto de 2013
Helio Meirim


Logística nos (ainda) pequenos negócios

Motive seu time na busca pela melhoria contínua

Logistica-nos-pequenos-negocios

Após a realização de um evento, fui abordado por um jovem empresário que me fez a seguinte pergunta: “Meirim é possível que minha pequena empresa consiga usar os conceitos de logística que você mencionou?

Achei a pergunta dele muito interessante, pois grande parte das vezes, quando falamos em logística, pensamos nas grandes organizações (indústrias, comércio e serviços), que pelo seu porte, normalmente, já possuem estruturas organizacionais mais maduras, dispondo de tecnologia, processos e sistemas de informação que suportam os processos logísticos.
Pedi a ele para me contar um pouco sobre sua empresa, uma promissora confecção, e após ouvir atentamente meu novo amigo, disse a ele, que os conceitos logísticos podem (e devem) ser aplicados em qualquer organização, independente do tamanho atual de seu negócio. Acrescentei ainda que, o ideal é que ele identifique onde a empresa dele está hoje e onde ele planeja chegar no futuro, e conclui dizendo que provavelmente para que ele consiga chegar onde deseja, um dos fatores essenciais será a logística, visto que sua empresa é uma confecção em fase de expansão.

O jovem ficou entusiasmado com a conversa e me perguntou se podíamos sentar para tomar um café. Ao longo da conversa durante o café, fui pontuando em um pequeno pedaço de papel, algumas dicas e sugestões de como ele poderia começar a pensar na logística de sua (ainda) pequena empresa.

Desde aquele dia, fiquei pensando que muitas pessoas podem ter a mesma dúvida do meu novo amigo, e por isso achei interessante compartilhar as anotações que fiz no pequeno pedaço de papel para meu amigo.

As principais dicas que dei para o uso da Logística em seu (ainda) pequeno negócio foram:

  • Identifique as necessidades e expectativas de seus clientes em termos de nível de serviço logístico (prazo de entrega, tamanho do pedido, freqüência de entrega, horário de recebimento, tipo de veículo adequado, forma de recebimento entre outros). O importante é saber o que tem valor para o cliente.
  • Demonstre para toda a equipe (própria ou terceirizada) os itens acima e, principalmente como os clientes avaliam seus fornecedores em relação a estes itens;
  • Defina indicadores de desempenho para mensurar como está o nível de serviço logístico (itens identificados na primeira fase). O ideal são resultados gerais de todo o negócio e específicos para seus principais clientes;
  • Identifique e apure os custos envolvidos nas principais atividades logísticas (aquisição, recebimento, movimentação, armazenagem, estoque e transporte)
  • Inclua os custos logísticos na sua análise de resultado, verificando o quanto eles estão impactando percentualmente em seu negócio (valor da venda);
  • Procure identificar as oportunidades de melhoria nestes custos, pois ações de redução nos custos logísticos impactam diretamente nos resultados;
  • Avalie o processo logístico contemplando as atividades de negociação com fornecedores, processo de aquisição, recebimento, armazenagem, gestão de estoques, planejamento da produção (caso seja uma indústria), distribuição para lojas/clientes;
  • A negociação com fornecedores e a gestão de estoques são atividades que merecem dedicação especial;
  • Avalie o caminho (fluxo) que matérias primas e produtos estão seguindo em suas instalações, tanto no processo fabril como nas atividades de armazenagem. Lembre-se sempre que o objetivo é reduzir ao máximo as movimentações internas, por isso, vale a pena uma boa revisão no layout para verificar as possibilidades de ter um fluxo mais contínuo dos materiais;
  • Procure construir um sistema de informações que lhe possibilite uma rápida identificação de desvios em relação aos objetivos logísticos propostos;
  • Esteja aberto ao diálogo, peça contribuições e com certeza o time vai trazer boas idéias.
    • Motive seu time na busca pela melhoria contínua.

Sabemos que para uma empresa (ainda) pequena, muitas das sugestões acima são difíceis de serem implementadas. Mas, ao concluir meu café com o jovem empresário, ele me agradeceu e se despediu com a seguinte frase: “Não sei se conseguiremos fazer tudo isso. Mas, tenho certeza que, se formos conseguindo colocar em prática uma destas ações por vez, já estaremos um passo a frente de onde estávamos até então”.

Quando ele já estava seguindo seu destino, lembrei da primeira frase que iniciou nossa conversa e então perguntei a ele. É possível usar os conceitos logísticos nos (ainda) pequenos negócios? Ele sorriu, colocou seu polegar para cima com um sinal de positivo e continuou caminhando.



Helio Meirim

CEO da HRM Logística consultora & treinamento, tendo atuado, por mais de 20 anos, no Brasil e no exterior, em cargos executivos de empresas nacionais e multinacionais nos segmentos de Operadores Logísticos, Transportadores, Varejo, E-Commerce, Indústria Farmacêutica, Alimentícia, Siderúrgica, Química e Agrobusiness. Msc em Administração coordena a comissão de logística do Conselho Regional de Administração – RJ, é professor, escritor, palestrante e compartilha suas ideias no blog www.hrmlogistica.wordpress.com. Contato meirim@hrmlogistica.com.br