Esqueceu sua senha?

Portal Competência

10 de setembro de 2014
Eduardo Ferraz


Lições de gestão que não se aprendem na faculdade

O que faz a diferença são as lições que o gestor só aprende na base do erro

Licoes_de_gestao_que_nao_se_aprendem_na_faculdade_pc

Basicamente, existem dois grandes tipos de conhecimento que podemos assimilar para fazer uma boa gestão na empresa: o conhecimento explícito e o conhecimento tácito.

O conhecimento explícito tem relação com conceitos teóricos e é aprendido desde a alfabetização até a faculdade ou pós-graduações, bem como em treinamentos técnicos, e está sistematizado, seja em livros, teses acadêmicas ou manuais de instruções. Para simplificar, seria como fazer um bolo usando uma receita que já foi testada e funcionou bem milhares de vezes.

O conhecimento tácito é o saber como fazer e está relacionado às habilidades que se adquirem com a experiência prática. Esse conhecimento é aquele que nos permite andar de bicicleta de olhos fechados, falar ao telefone e navegar na internet ao mesmo tempo ou preparar um bolo sem usar receita. É um tipo de conhecimento que só se aprende fazendo e não há como transformá-lo em manuais de treinamento.

Aprende-se muita teoria interessante no ensino tradicional, mas o que realmente faz a diferença são as lições que o gestor só aprende na base da tentativa e erro, ou seja, aqueles conhecimentos que só a vida ensina. Vamos a alguns exemplos:

1-   Identificar mentiras – Não existe manual técnico capaz de ensinar a alguém como perceber quando um indivíduo mente. Entretanto, há pessoas que identificam sinais não verbais que só elas percebem.

2-   Quando desistir – Só depois de muitos anos de vivência prática o gestor aprende a hora certa de parar. Quem já perdeu muitas vezes costuma aprender da pior maneira, mas jamais esquece.

3-   Contratar bem– Por mais que se siga um ótimo roteiro teórico, a experiência, que muitos chamam de intuição, faz enorme diferença na hora selecionar as pessoas que darão certo em sua empresa.

4-   Mediar conflitos – Existem excelentes cursos de negociação, mas nenhum ensina o “timing” exato de como desarmar ou evitar conflitos graves.

5-   Começar um novo negócio – Os riscos de empreender são muito altos e quem já fracassou e acertou muitas vezes tem uma chance de sucesso bem maior que os meramente teóricos.



Eduardo Ferraz

É consultor em Gestão de Pessoas há 21 anos e especialista em treinamentos usando como base a Neurociência comportamental. Acumula mais de 30 mil horas de experiência prática em empresas de vários segmentos. É pós-graduado em Direção de Empresas pelo ISAD PUC-PR e especializado em Coordenação e Dinâmica de Grupos pela SBDG. Autor do livro “Vencer é ser você”, da Editora Gente. Para mais informações, acesse: www.eduardoferraz.com.br www.facebook.com/eduardoferrazconsultor