Esqueceu sua senha?

Portal Competência

13 de agosto de 2013
Recursos Humanos


Investimento em futuros líderes é escasso

Pesquisa revela que novos gestores se sentem desamparados pelas empresa

investimento em futuro lideres

Mais de 80% dos profissionais que assumem papeis de liderança pela primeira vez não recebem treinamento das empresas antes de iniciarem em seus novos cargos. Isso revelou recente pesquisa realizada pela ETALENT em parceria com as consultorias LAB SSJ e Clave. O estudo foi aplicado a quatro mil gestores atuantes em empresas de grande porte de setores variados. Os dados alertam aos departamentos de recursos humanos sobre a importância do amparo aos futuros líderes das organizações.

Muito a empresa tem a perder promovendo à liderança um executivo sem capacitação adequada. Um gestor despreparado administra mal o tempo, limita as suas competências e sufoca o talento dos liderados. Isso afirma a vice-presidente da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH-PR), Susane Zanetti. Segundo ela, a capacidade de liderar não é inata, pode ser aprendida. “Há profissionais que são excelentes técnicos, mas ao serem promovidos não conseguem desempenho, pois não estão preparados para a mudança de nível. Estes precisam de capacitação”, relata Susana.

Ao avaliar os dados da pesquisa realizada pela ETALENT, o presidente da empresa, Jorge Matos, ressalta as angústias que sentiu nos líderes estreantes por não terem o apoio de suas organizações. “Eles precisam de clareza sobre o que o novo cargo exigirá. Frequentemente, as pessoas são alocadas em posições para as quais não têm conhecimentos. É importante preparar o gestor em todos os principais conceitos relativos à gestão: de pessoas, de negócios e também de motivação, delegação, relacionamento interpessoal, entre outros”, explica Matos.

Antes de assumir a liderança

Treinamentos, coaching, mentoring. De acordo com a vice-presidente da ABRH-PR, Susane Zanetti, são diversas as ferramentas de capacitação de líderes à disposição dos departamentos de recursos humanos. Usá-las é essencial, segundo Zanetti: “a capacitação antecedente auxilia no desenvolvimento da competência liderança. Assim evita-se o risco de perder um excelente técnico que nunca ocupou um cargo como este e preservam-se os subordinados que, por vezes, têm suas habilidades sufocadas por um líder inábil. Em tempos de retenção de talentos, não se pode correr o risco de perder profissionais importantes para a empresa”.

O presidente da ETALENT também orienta às empresas em relação à capacitação de seus gestores estreantes. Para ele, ações simples fazem toda a diferença na formação de líderes. “É possível criar grupos de discussão entre gerentes para avaliar posicionamentos da organização. Também se pode oferecer uma agenda de integração entre as diversas áreas da empresa com o monitoramento de um gestor mais experiente. Além disso, é interessante que a companhia ofereça acesso a programas de desenvolvimento, como cursos online”, aconselha Jorge Matos.



Redação, Portal Competência