Esqueceu sua senha?

Portal Competência

5 de fevereiro de 2014
Eduardo Shinyashiki


Imagine todos os seus desejos para o ano, e concretize-os

Todos nós temos um ideal

imagine todos

Qual é seu desejo para 2014? Aquele objetivo que você ainda não realizou no ano anterior, mas que nunca saiu da sua mente, do seu coração. Todos nós temos um ideal, algo que nos motiva a acordar todos os dias em busca de um sonho.

Às vezes parece que a passagem do dia 31 de dezembro para o primeiro de janeiro é mágica, que as mudanças partem daí. No entanto, o verdadeiro ano novo acontece do contexto interno para o externo. Para que o efeito se realize e nos satisfaça na própria vida, o primeiro passo é a construção de uma meta, pois cada pensamento futuro é uma ação.

Em janeiro, é natural todos nós olharmos com mais intensidade para dentro de si e perguntar-nos, sinceramente, os reais desejos para o novo ano. Engana-se quem acha que esse exercício não é poderoso. Ele fortifica um contexto que pode vir a existir por meio de conteúdos emotivos fortes, como cenários e imagens, e quando temos mais 365 dias pela frente, essa mentalização é ainda maior.

Mas depois a rotina volta e muitos se perdem em seus propósitos. Como, então, não perder os objetivos de vista e estar envolvido com sua meta dia após dia? Segundo estudos e experiências pessoais, mais de 50% das pessoas que elaboraram uma lista daquilo que querem mudar ou conseguir, depois de alguns meses nem lembram mais o que tinham decidido, e aproximadamente 20% das pessoas irão fazer os mesmos desejos do ano passado.

Além do exercício da reflexão, importante em todos os momentos da vida, e não apenas no começo de novo ano, é essencial saber se os objetivos que você tem como prioridade servem realmente para você como pessoa, pois é comum selecionarmos metas que não são para nós, que não fazem parte da nossa vida e nem do que temos como valores. Isso significa que é preciso avaliar o que é realmente válido para ter aquele entusiasmo real e buscar as respostas que tanto necessitamos, dentro de um propósito pessoal.

Tenha também atenção para saber se suas metas não beiram ao impossível, pois parte do êxito é ser realista, o que evita um círculo vicioso de propósitos e fracassos, de esforços e decepções, de tentativas e desistências.

Metas e objetivos nada mais são que pensamentos sobre o futuro, e se usarmos essa vantagem de raciocínio, teremos mais chances de concretizar a visão idealizada. Estabelecer a visão é seguir o caminho para alcançar o objetivo real, saber quais são os talentos necessários para chegar aonde quer, determinar em que lugar deseja estar e, a partir desse momento, agir de acordo com o que definiu para si mesmo como um caminho a ser percorrido.

Se no decorrer dele falharmos em algum momento ou nos desmotivarmos por um instante, reajuste a rota e tenha em mente que você sempre pode mudar e melhorar para alcançar os bons desejos do começo do ano.



Eduardo Shinyashiki

É palestrante, consultor organizacional, escritor e especialista em desenvolvimento das Competências de Liderança e Preparação de Equipes. Presidente da Sociedade Cre Ser Treinamentos, colabora periodicamente com artigos para revistas e jornais. Autor dos livros: Viva como Você Quer Viver, A Vida é Um Milagre e Transforme seus Sonhos em Vida - Editora Gente. Para mais informações, acesse www.edushin.com.br.