Esqueceu sua senha?

Portal Competência

21 de novembro de 2014
Sandro Gomes


Está na hora de reduzir custos? Como?

Onde estão as melhores oportunidades de redução de custos?

Está na hora de reduzir custos? Como?

Na maioria dos negócios há uma hora que é preciso reduzir custos, esteja esse momento ligado à economia do país, do setor específico, ou ainda do próprio ciclo de vida do negócio. O fato é que, quando chega essa hora, os ânimos se abatem de alguma forma, pois há uma sensação de retrocesso – um andar para trás não desejado. Mas não é bem assim. Na verdade, um estudo criterioso sobre boas oportunidades de redução de custos pode revelar ineficiências escondidas, e despesas pouco racionalizadas. Então, esse momento é na verdade uma boa oportunidade de se ajustar a empresa para ser mais eficiente e, portanto, mais competitiva.

É hora de reduzir custos?

Seria fácil responder que sempre é hora de reduzir custos. Mas há momentos em que é preciso investir recursos com mais intensidade nisso. Então, como saber se é a hora? Podem-se avaliar duas grandes frentes. Olhar para dentro da empresa, e avaliar seu resultado financeiro, apontando itens que estão pressionando a margem do negócio, e abrir os detalhes para verificar as oportunidades. Ao se olhar para fora, pode-se observar a tendência do mercado e do volume de negócios, e avaliar se será suficiente para manter o equilíbrio. Assim, é possível encontrar os sinais de que é hora de perseguir mais intensamente na redução de custos. E qualquer que seja o caso, a estrutura e os processos da empresa deverão de se modificar para se adaptar à nova realidade.

Onde estão as melhores oportunidades de redução de custo?

Vejamos uma empresa onde o item energia tem importante impacto nos custos, e sua análise mostra que está aumentando o consumo de energia, e que isso não tem relação com aumento de produção, mas com ineficiência. Ao se analisar em detalhe, poderá ser percebida a necessidade de melhoria em tecnologia, equipamentos ou processos, que farão o consumo de energia ser mais racional e eficiente. Em outra empresa se percebe que o custo comercial está aumentando em relação aos volumes de negócios gerados, o que pode sugerir alteração nos processos comercias desde as operações de campo, como escritórios regionais, visitas a clientes e viagens, passando pelo próprio desenho da estrutura de canais, e pelas operações administrativas de vendas.

Como reduzir custos de maneira inteligente?

Quando se fala em redução de custos, é comum ouvir pelos corredores frases do tipo: “isso é uma economia burra”, ou “lá vem o corte de pessoal”. Ao se proceder de maneira técnica, se promove um melhor engajamento das pessoas, o que é um fator importante. Em geral se desejará realizar os trabalhos com menos recursos e em menor tempo, o que significa modernizar a infraestrutura ou otimizar os processos da empresa. Assim, um bom trabalho de mapeamento e revisão de processos certamente irá colaborar para a melhoria da eficiência operacional, e consequente redução de custos.



Sandro Gomes

Executivo e consultor com 19 anos de experiência em gestão de negócios e marketing, em empresas nacionais e multinacionais líderes em diferentes segmentos de mercado, como PURAC Corbion (indústria holandesa de biotecnologia), TIM Brasil Holding (empresa italiana de telecomunicações), e GRPCOM – Grupo Paranaense de Comunicação (empresa brasileira de comunicação e mídia afiliada à Rede Globo) Ferrero do Brasil (empresa italiana de bens de consumo marcas Kinder, Nutella, Tic-tac e Ferrero). Graduado em Engenharia Química (UFRJ) com Extensão em Marketing e MBA em Gestão Empresarial (ambos pela FGV). Inglês e espanhol fluentes. Atualmente é sócio-diretor da CrossVision Gestão de Negócios & Marketing, professor da disciplina de Sistemas de Inteligência de Mercado na pós-graduação da Universidade Positivo e ESIC Business & Marketing School, e colunista semanal de “Negócios & Marketing” no jornal Gazeta do Povo (Curitiba/PR). Como consultor prestou serviço a empresas como Fundação Dom Cabral (Unid. PR), Gráfica e Editora Posigraf, GAIN (Genebra/Suíça), IESE (Pamplona/Espanha Unid. IICS/São Paulo), Rede Globo (Unid. RPC TV/PR), PATH (Seattle/EUA), Leica Geosystems (Unid. Sul), Colégio Positivo, Buscapé (Unid. Navegg/PR), Gazeta do Povo entre outras.