Esqueceu sua senha?

Portal Competência

10 de fevereiro de 2014
Educação Corporativa


Ensino para adultos favorece a troca de experiências

As observações da Andragogia

Ensino para adultos favorece a troca de experiencias

Compreender o processo educacional do aluno adulto. Este é o conceito da Andragogia, palavra grega que, com o advento da educação a distância ganhou destaque nos últimos anos. Isso porque, um dos objetivos da EAD é oferecer conteúdos atuais, necessários ao desenvolvimento profissional e pessoal e que possam ser utilizados de imediato.

Mas quais são as particularidades de ensinar para adultos e por uma ferramenta a distância? Segundo Rosângela de Abreu Amadei Duarte, responsável pelo setor que coordena a produção e operação da Dtcom em São Paulo, as diferenças são muitas. “O aluno adulto é automotivado, ele sabe claramente o que quer, quais as suas necessidades e para quê. Essas características são evidenciadas quando o curso é a distância”, explica.

Diferentemente do público infantil, o qual é direcionado para a aprendizagem que precisa, o adulto busca desafios e soluções de problemas que enriqueçam a sua vida cotidiana e que sejam ensinados hoje para serem usados amanhã. Por isso, antes de oferecer um curso desta natureza, é interessante analisar se o conteúdo tira a atenção do público alvo. Tanto para os cursos técnicos sob demanda quanto os de competências essenciais, é fundamental verificar se a linguagem adotada condiz com o público alvo, é voltado para a prática e inclui estudo de cases, além de atividades interativas. “Esses diferenciais garantem a atenção dos profissionais e ajudam na fixação do conteúdo”, reforça Rosângela.

Outro detalhe importante é considerar a geração do aluno. Os profissionais da Geração Y, por exemplo, que já entraram no mercado de trabalho com as facilidades da Internet, preferem estudar por meio de fóruns e e-mails, ou seja, priorizam a troca de experiências. Nestes casos, o professor incorpora a função de maestro, que orienta o espírito colaborativo do aluno, que prefere interagir com o colega a assistir telas cheias de teoria.

Além dessas particularidades, os cursos de educação a distância também são desenvolvidos de acordo com temas de relevância para o mercado corporativo, além de levar em conta uma necessidade específica de um grupo pré-determinado. “O trabalho sob demanda analisa as informações precisas da equipe a ser treinada. Já aquele para o desenvolvimento das competências essenciais, vai em busca das informações de mercado”, esclarece Rosângela Duarte.



Redação, Portal Competência