Esqueceu sua senha?

Portal Competência

13 de agosto de 2013
Qualidade de Vida


Dieta de concurseiro

Alimentação correta melhora o desempenho na prova

Dieta de concurseiro

De nada adianta se dedicar horas a finco aos estudos para conseguir uma nota satisfatória em um concurso público se a pessoa descuidar da sua saúde. Afinal, nenhum concurseiro deseja que problemas como o estresse, a ansiedade, a depressão ou a desnutrição surjam durante a jornada rumo à carreira pública. Uma alimentação balanceada auxilia na prevenção de problemas de saúde e melhora o desempenho do estudante. Abaixo, conheça quais são os alimentos benéficos e os que devem ser evitados pelos candidatos.

Com correria de estudos, muitos candidatos cedem aos alimentos de consumo rápido, gordurosos e repletos de açúcares. O que poucos se dão conta, porém, é que uma dieta desregulada afeta diretamente a produtividade do estudante. “Uma alimentação desequilibrada torna a pessoa suscetível a irritações, dificulta o armazenamento da memória de longa duração e prejudica a concentração”, esclarece a nutricionista Ana Paula Souza.

Especialista em fisiologia humana, Ana Paula recomenda que o concurseiro se alimente, no máximo, a cada 3 horas e selecione alimentos ricos em vitaminas do complexo B e carboidratos. Ela indica incluir na dieta alimentos como bananas, bolos caseiros, biscoitos integrais, leite, chá verde e açaí. “Os produtos com alto índice glicêmico – como doces, chocolates e açúcares em geral – devem ser evitados, pois causam prejuízos aos estudos”, alerta a nutricionista que atua na Santa Casa de Maringá.

A alimentação deve ser ainda reforçada na data da tão aguardada prova. Isso por se tratar de um dia que envolve muito estresse e ansiedade. Para a especialista Ana Paula Souza, investir em um café da manhã reforçado é essencial. Por isso, nada de acordar em cima da hora e sair correndo beliscando qualquer coisa para não correr o risco de passar mal no momento da avaliação. “Se possível, levar barras de cereais, frutas secas, biscoitos ou sucos de frutas para fazer lanches intermediários a cada 2 ou 3 horas”, recomenda a nutricionista.



Redação, Portal Competência