Esqueceu sua senha?

Portal Competência

18 de março de 2014
Silvia OSSO


Dicas para não errar na etiqueta!

Há pessoas que dizem que ter etiqueta é “frescura”. Será?

Dicas para nao errar na etiqueta

Há pessoas que dizem que ter etiqueta é “frescura”, mas todo mundo quer saber como se comportar em muitas ocasiões, principalmente naquelas que, apesar de corriqueiras, pode valer uma tremenda saia-justa, sem saber o que fazer.

Hoje a regra é: não há regra! Mas na prática, principalmente organizacional, o assunto não é bem assim. Aqueles mais preparados com relação à etiqueta pessoal e profissional saem-se bem melhor que os despreparados. Preste atenção às dicas que forneço abaixo e que podem salvá-lo em situações do dia-a-dia.

Comentário sobre estética corporal

Nossa como você está magra! Foi lipoaspiração? Está fazendo academia? Nunca faça esse tipo de comentário a não ser que a pessoa seja íntima. Ela pode ter passado por um problema de saúde que você desconheça e vai provocar um desgaste desnecessário. Comente apenas que está bem e, se a pessoa quiser, vai contar o que fez. O culto ao corpo e a estética nem sempre leva a resultados positivos, portanto cuidado com os comentários.

Falta de memória

A pessoa o cumprimenta com um forte abraço dizendo o seu nome… e você não tem a menor ideia de quem seja. A melhor saída é falar a verdade antes de começar a conversa. Desculpe-se e diga que não se lembra do nome de seu interlocutor. Esta é a forma mais correta de agir. Se a outra pessoa lembra seu nome provavelmente vocês já foram apresentados e você esqueceu o dela. Dizer que a memória é péssima para nomes é uma desculpa desgastada e “fora de moda”.

Fura-fila

O que fazer quando alguém espertamente entra na sua frente depois de horas esperando na fila? Apesar de inadmissível: nada de “barraco”. Reclame educadamente com o próprio fura-fila e, se não resolver, mantenha a boa educação. Não combata a falta de educação da mesma forma.

Fumante

O fumante é cada vez mais malvisto socialmente, já que, por lei, é proibido fumar em vários locais de uso comum. Por essa razão, foram criadas áreas destinadas aos fumantes. Quando visitar alguma empresa evite o fumo. É uma questão de bom senso e respeito aos demais.

Beijo gripado

Se estiver gripado evite ao máximo beijar pessoas. Desculpe-se e diga que está gripado. Não é nem uma questão de etiqueta, mas de saúde pública. Muitos recomendam cumprimentar com um aperto de mão, mas os médicos alertam que também se pode transmitir vírus assim, já que estas são usadas para assoar o nariz.

“Benhê”, querido

Deixe os apelidos amorosos reservados aos mais próximos ou às quatro paredes. Quem pensa que está passando aos outros a impressão de intimidade, na verdade, está transmitindo inadequação e imaturidade, além da falta de profissionalismo.

Dresscode

Ainda se usa nas empresas? Sim e deve existir porque facilita os trajes diários e define objetivamente o que trajar. Se existir, use-o, sem questionar. Se não, cuidado com os exageros. Imagine-se indo ao trabalho no primeiro dia vestido de jeans e encontrar todos de traje social. No mínimo, você vai se sentir deslocado.

Veja os significados dos trajes sociais:

Traje esporte - Pede roupa descomplicada. Para as mulheres, vestido leve ou calça com blusa, sem salto. Para os homens, camisa e calça esportiva resolvem. Para ambos, é permitido o jeans, desde que não surrado. Mas nem pense em aparecer de bermuda e tênis.

Esporte fino, traje passeio - Nesse caso, há um pouco mais de formalidade. Um salto e um vestido caprichado são bem-vindos. Para os homens, não há necessidade de gravata, mas se pode usar blazer sobre a camisa. Troque a calça jeans por uma de gabardine.

Traje social, social completo ou passeio completo - As mulheres devem optar por vestidos de tecidos nobres, como a seda, e os homens, terno e gravata.

Black-tie ou traje a rigor - A indicação é smoking para os homens e vestidos longos para as mulheres. Brilhos e joias completam o visual feminino.

Zíper aberto

Aviso ou não aviso? Pense: você gostaria de passar pelo constrangimento de desfilar por aí de zíper aberto? Claro que não. Então faça pelo outro o que gostaria que fizessem por você: avise, olhando nos olhos da pessoa. Evite usar códigos e mímicas, que só pioram a situação. Apenas fale e resolva a situação da forma mais natural possível.

Namoro no trabalho

Aqui vale a adequação da famosa frase: Amigos, amigos; negócios à parte. Deixe para depois do expediente qualquer assunto fora do âmbito profissional. Ciúmes, beijinhos, comentários de duplo sentido devem ser evitados e, se possível, não conte aos colegas sobre o namoro se for recente. Antes de começar um relacionamento no local de trabalho, vale refletir: Será que ao terminar o namoro vou continuar a relação de trabalho? Pondere se vale a pena começar.

À mesa

Muitos restaurantes estão simplificando a etiqueta à mesa, com apenas uma taça grande para o vinho (seja tinto ou branco) e dois pares de talheres – para entrada e prato principal. Chique é economizar água, por isso só vai para a mesa o que é necessário. Mas continua sendo um luxo bons modos e refinamento à mesa: mastigar de boca fechada, não falar de boca cheia, não colocar os cotovelos em cima da mesa e saber manejar os talheres, além de conversar em tom de voz moderado e evitar gesticular demais. Tudo isso é uma questão de bom senso.

No flagra

Peguei o chefe ou um colega com “outra” em um restaurante. O que fazer? Nada, finja-se de morta. Não comente nem com sua melhor amiga. Isso porque é difícil saber quais são os acordos dos casais, fora que, se fizerem as pazes depois, é você que vai ficar em maus lençóis, e eles numa boa. Lembre-se do sábio ditado: “Em briga de marido e mulher não se mete a colher”.



Silvia OSSO

É palestrante e consultora de empresas. Jornalista , especialista em varejo,é autora dos livros Atender bem dá lucro ; Programa Prático de Marketing para Farmácias; Administração de Recursos Humanos e do DVD Etiqueta Empresarial.Contato via e-mail: siosso@uol.com.br . Para adquirir meus livros : www.lojacontento.com.br