Esqueceu sua senha?

Portal Competência

25 de setembro de 2013
Samuel Marques


Controle Financeiro Melhora a Produtividade

A organização financeira dos colaboradores de uma empresa tem reflexos diretos sobre a rotatividade !

Controle Financeiro Melhora a Produtividade

Encontrei o Renato no refeitório da empresa onde ele trabalha e durante o almoço ouvi sua ótima história.

Quando nos falamos pela primeira vez, ele estava pensando em pedir demissão da empresa para ter acesso ao dinheiro da rescisão. Não aguentava mais a pressão de empresas de cobranças, bancos e até colegas de trabalho. As brigas em casa eram constantes e ele não sabia mais o que fazer.

Eu recomendei que ele tivesse calma, principalmente em relação ao emprego e formulamos uma estratégia para enfrentar o problema. Eram dívidas altas, representando mais de 10 vezes a sua renda mensal.

Ele seguiu o plano em detalhes e foi me contando como isto ajudou a família. E, antes de chegarmos na sobremesa, ele anunciou também que atingiu antecipadamente as metas de trabalho neste ano.

Em lugar de pedir demissão, ele agora está fazendo faculdade com a intenção de ser promovido. Fiquei muito feliz com o que ouvi e lhe dei os parabéns pelas conquistas que alcançou: controle financeiro, redução das dívidas e melhoria na produtividade.

Este trio caminha junto há muito tempo. A companhia de seguros “Met Life” fez uma pesquisa em corporações de 9 países, e as conclusões apontaram o seguinte:

1. o descontrole financeiro está diretamente ligado às ausências no trabalho em 58% das empresas;

2. o excesso de dívidas abala negativamente a produtividade em 78% destas empresas.

A pesquisa não envolveu o Brasil, mas eu comprovo os seus resultados todos os dias nas empresas onde implantamos os programas de educação financeira.

A organização financeira dos colaboradores de uma empresa tem reflexos diretos sobre a rotatividade, absenteísmo e a produtividade. Já fizemos um trabalho de educação financeira totalmente focado na redução do “turn over”. Em outra empresa, vimos a relação direta da organização das finanças com a redução das faltas ao trabalho.

E nesta história do Renato, a produtividade foi o grande destaque. As metas definidas com o chefe estavam emperradas. Mas depois que ele percebeu que havia solução para o problema financeiro, a mente destravou e ele foi capaz de cumprir as tarefas e até antecipar trabalhos que só seriam exigidos no final do ano.

Como a empresa atua no agronegócio, nos despedimos com um cafezinho, fazendo a seguinte reflexão: a empresa plantou educação financeira e colheu produtividade. Já o Renato ficou com um subproduto precioso chamado qualidade de vida.

A sua empresa já começou o plantio?

 

Grande Abraço



Samuel Marques