Esqueceu sua senha?

Portal Competência

13 de agosto de 2013
Administração


Conheça melhor o Empowerment

Os benefícios da descentralização do poder dentro das empresas

Conheca melhor o Empowerment

Ter colaboradores envolvidos e dedicados aos objetivos da empresa é o sonho de qualquer líder. Para que esses empregados se comportem dessa forma, porém, é preciso que eles se sintam parte da organização. Para tanto, o Empowerment propõe que a esses profissionais seja dado o poder de diagnosticar problemas e propor soluções relativas ao negócio. Ou seja – como o próprio nome já sugere – essa forma de gestão defende a partilha das autonomias, responsabilidades e poderes dentro da instituição. Abaixo, saiba mais sobre esse sistema e seus benefícios.

Um dos mais interessados no sucesso da empresa é o seu empreendedor, correto? Imagine, então, se cada trabalhador dentro da organização se sentisse dono do negócio no qual está inserido? O Empowerment desperta nos profissionais esse sentimento ao dar a eles o direito de tomarem iniciativas em prol da companhia. Os colaboradores se tornam responsáveis pelo sucesso da empresa e não apenas cumpridores de ordens.

Robson Camargo é sócio-diretor de uma empresa especializada em Gestão de Pessoas e Projetos, a Robson Camargo – Projetos para Negócios e Desenvolvimento Humano. Segundo ele, apesar de as empresas brasileiras, de uma forma geral, ainda não terem despertado para a importância do Empowerment, os benefícios desse modelo de gestão são evidentes: “interfere diretamente nos resultados dos negócios. Tenho observado isso nos clientes que atendo. As estruturas passam a ser mais funcionais, os processos mais rápidos e objetivos e as pessoas mais engajadas”.

O melhor aproveitamento do capital humano dentro da empresa é um dos maiores benefícios do Empowerment de acordo com a diretora da Intelectus – Gestão Estratégica de Pessoas, Lidiane Bertê. Para ela, trata-se de “um sistema que fortalece a autoestima do colaborador e a responsabilização pela sua própria aprendizagem e inserção no contexto geral da empresa, fomentando a retenção de talentos”.

Ao comentar sobre as situações corporativas que mais demandam a aplicação de um programa de Empowerment, Lidiane Bertê cita os seguintes casos: processos de sucessão e transição de poder, centralização no processo decisório, necessidade de formar novos líderes, falta de agilidade na tomada de decisão, falta de motivação dos líderes e falta de responsabilidade e comprometimento com o negócio.

Segundo Robson Camargo, a aplicação do Empowerment dentro de uma empresa exige uma mudança na cultura da organização. Para tanto, Camargo sugere aos empresários e profissionais de RH o apoio de uma consultoria especializada.



Redação, Portal Competência