Esqueceu sua senha?

Portal Competência

22 de agosto de 2013
Recursos Humanos


O conflito bem-vindo

Como administrar desentendimentos entre colaboradores de maneira produtiva

O-conflito-bem-vindo

Uma equipe geralmente é composta por pessoas com formações, visões de mundo e experiências profissionais diferentes. Tal diversidade existente entre os indivíduos acaba por gerar desentendimentos na tomada de decisões. Nem todo conflito, porém, deve deixar rastros prejudiciais ao grupo. Um líder perspicaz consegue administrar essas situações de forma a beneficiar os envolvidos. Saiba como!

O surgimento de um conflito tem o poder de tornar evidentes os problemas do grupo. Dessa forma, estimula a busca por resoluções e tira os profissionais da estagnação e do marasmo. Quem afirma isso é Humberto Souza, consultor e proprietário da Bahia Consult – empresa especializada em Treinamento com ênfase em Desenvolvimento Organizacional e Gerencial.

“Conflitos conseguem despertar o interesse e a curiosidade pelo desafio da oposição e ao levar em conta os ganhos possíveis. Funciona também como indutor de mudanças pessoais, grupais e sociais, entre tantas outras questões”, reforça Humberto Souza.

Para alcançar esses benefícios, porém, é preciso lidar da forma correta com os desentendimentos que surgem em uma equipe de trabalho. Jamais deixar-se dominar pela emoção é uma das orientações que o Instituto de Neuroliderança concede em seus treinamentos para gestores.

Sob a ótica de Carlos Diz, sócio-fundador do Instituto, “o líder deve buscar entender antes de ser entendido e não agir baseado em sua visão pessoal, pois corre o risco de beneficiar uma das partes, sendo que o melhor é quando o todo ganha e não quando um ganha e o outro perde. A melhor maneira de agir é por meio de uma conversa franca, ouvindo todos os envolvidos e procurando compreender as diferentes visões”.

Quem deseja extrair dos conflitos lições profundas também deve tomar cuidado para que as discussões se detenham no âmbito das ideias e fatos. “Se houver críticas, elas devem se relacionar às ideias e nunca às pessoas. O líder precisa fazer com que as diferenças sejam respeitadas, promovendo o intercâmbio de valores”, ressalta Humberto Souza.



Redação, Portal Competência