Esqueceu sua senha?

Portal Competência

18 de julho de 2014
Silvia OSSO


Boas relações numa visita de trabalho

A primeira impressão é sempre a que fica, tanto para quem recebe como para quem chega

Boas_relacoes_numa_visita_de_trabalho_pc

Pode parecer bobagem comentarmos atualmente sobre boas relações numa visita de trabalho; mas, por incrível que pareça, muitos erros ainda são cometidos e muitos negócios deixam de ser fechados por causa de pequenos gestos.

A primeira impressão é sempre a que fica, tanto para quem recebe como para quem chega.  Se você recebe as pessoas ou trata com elas por telefone, seja acolhedor e tenha o máximo de cuidado. 

Lembre como se acolhe uma visita de quem se gosta na nossa própria casa: no trabalho este acolhimento tem que ser ainda maior e cercado de atenção.Pessoas gostam de ser reconhecidas. Esse é o melhor acolhimento para quem vai a um local para uma visita agendada.

Vamos rever alguns aspectos: 

RECEPÇÃO: É o cartão de visita da empresa e, portanto quem está nesse local não pode, em momento nenhum, se descuidar da aparência e da cordialidade. É preciso estar atento a quem entra e dizer sempre: 

  • Bom dia (tarde ou noite);
  • Identifique-se dizendo: Meu nome é…
  • Em que posso ajudar? (Lembre que isso não é uma simples pergunta; tem que ser mesmo vontade de SERVIR!)  OU o que fui fazer no local.

CUMPRIMENTOS: Tanto faz em que local de trabalho está dentro da empresa; cumprimente todas as pessoas que encontrar pelo caminho, na chegada e na saída. Evite iniciar a conversa com problemas pessoais ou profissionais diante de clientes ou de estranho; mesmo que conheça há algum tempo essas pessoas. Assuntos pessoais devem ser tratados fora do local e trabalho ou no intervalo.

As frases mágicas como: Bom dia; Boa tarde; Boa-noite; Por favor; Obrigado; Obrigada; Desculpe-me; Com licença, usadas com frequência e ditas com cordialidade, abrem muitas portas em qualquer lugar.

Acredite: boas palavras ajudam a criar uma atmosfera agradável e tornam o ser humano mais humano; facilitando a conversação. 

FORMAS DE TRATAMENTO: Seja atencioso, cordial e gentil. Evite, no trato habitual, expressões, gírias ou modismos como: “meu bem”;”querida”;”meu amor”; “moço”; “fofa”; etc.  Trate as pessoas por “senhor” ou “senhora”. Se lhe derem “liberdade” use você. Chame o cliente pelo nome, se souber, para que ele se sinta respeitado, mas evite tratamentos muito íntimos.

SABER OUVIR E ESCUTAR: A maioria das pessoas tem o dom da audição. Já escutar é um dom que nem todos possuem. O verdadeiro sábio é aquele que escuta! Quem escuta sempre sai lucrando. Deus criou o homem com dois ouvidos e uma única boca, pois a sua intenção era que o homem ouvisse mais e falasse menos. Ouça mais e fale menos.

A ARTE DE CONVERSAR: Conversar é a habilidade de manter uma comunicação atraente sem fazer referência à sua vida pessoal e de outros, sem deixar transparecer suas frustrações e problemas.

A arte de conversar deve atender a um estilo claro e preciso, proporcionando bem estar e alegria. Mantenha sua expressão fisionômica leve e alegre. Além de se sentir seguro e confiante, expresse carisma.

Ao conversar, olhe nos olhos, assim você transmite uma imagem de pessoa sincera e confiável.

Se precisar conversar com um grupo de clientes ao mesmo tempo, olhe atentamente para todos, não apenas para aquele com quem mais simpatizar. Nunca fale em “valores”, até que todos os outros itens da visita tenham sido discutidos.

Quem termina a visita é o cliente. Quando ele disser (ou der a entender) que o tempo da visita está acabando, não tente prolongá-lo. Certifique-se de que tem um cartão do visitado para tratar dos assuntos pendentes por telefone em hora mais propícia e faça uma breve conclusão do que foi tratado ou acordado.

Ao final da visita, agradeça a atenção que lhe foi dispensada e deseje-lhe um bom dia, mesmo que o resultado da conversa não seja o esperado. Nem sempre atingimos nossos objetivos, mas até mesmo nessa hora é preciso ter classe e serenidade.

Há algumas coisas que podem parecer que não; mas são deselegantes ao conversar e interferem no resultado dos trabalhos:

  • Gesticular exageradamente;
  • Atender o celular e pedir desculpas por fazê-lo. O celular deve ser deixado no silencioso ou desligado, pois atrapalha a conversa e tira a concentração do interlocutor;
  • Não olhar no rosto de quem está falando, tanto quando ouve como quando fala;
  • Interromper a fala das pessoas e não deixá-las terminar o raciocíni;
  • Mexer nos cabelos, brincar com seus próprios anéis, brincos, colares;
  • Bater no ombro para chamar atenção sobre algo;
  • Fazer caras e bocas; ou fazer tudo para chamar atenção; dentre outros.

Um lembrete: Porta aberta não significa “entre”. Assim, mesmo que você possa entrar em qualquer sala, pare na entrada da sala, bata à porta e só depois a abra. Sorria peça “com licença” e, ao entrar, diga “Bom dia” ou “Boa Tarde” (dependendo da hora) e então diga o que veio fazer. Só estenda a mão se o interlocutor o fizer antes de você. E só se sente se for convidado por ele.

Com esses pequenos detalhes, tenho certeza que vai se sair bem melhor em suas visitas e causar uma ótima impressão a quem o recebe. Experimente!

 



Silvia OSSO

É palestrante e consultora de empresas. Jornalista , especialista em varejo,é autora dos livros Atender bem dá lucro ; Programa Prático de Marketing para Farmácias; Administração de Recursos Humanos e do DVD Etiqueta Empresarial.Contato via e-mail: siosso@uol.com.br . Para adquirir meus livros : www.lojacontento.com.br