Esqueceu sua senha?

Portal Competência

30 de janeiro de 2014
Recursos Humanos


Avaliação de Desempenho não é “caça às bruxas”

Saiba quais cuidados devem ser tomados na aplicação desta ferramenta

Avaliacao de Desempenho nao e caca as bruxas

A avaliação de desempenho é uma ferramenta fundamental para o desenvolvimento humano dentro das organizações. Para que os benefícios deste instrumento de mensuração sejam usufruídos, porém, consultores orientam que ele seja aplicado da maneira correta e com o foco acertado. Caso isso não ocorra, podem-se desenvolver sentimentos de competitividade entre membros de uma mesma equipe e até medo de exposição e desmotivação.

Desvirtuar o objetivo de uma avaliação de desempenho é um dos piores erros ocorridos no planejamento e aplicação. O aprimoramento de resultados, a identificação de talentos e a compensação pela dedicação são metas mais assertivas do que a ideia de punição a colaboradores que não atendem expectativas. Esta é a observação do consultor em Gestão de Pessoas e diretor da Bahia Consult, Humberto Souza.

Humberto enfatiza alguns dos objetivos nos quais a empresa deve se concentrar em uma avaliação de desempenho: “mensurar como está o desempenho do avaliado em relação às suas obrigações e tarefas, ver o progresso que ele teve em relação à sua última avaliação, demonstrar onde ele foi bem e onde precisa melhorar. Tudo isso de comum acordo com o profissional avaliado e se colocando à disposição para auxiliar no que for necessário”.

Quando essa forma de mensuração é utilizada como uma maneira de punir resultados ruins de colaboradores, as consequências são desastrosas, segundo o diretor da Bahia Consult: “o descrédito do instrumento e a mascaração de problemas internos são alguns dos prejuízos. Os profissionais tenderão a esconder seus problemas, pois poderão ser punidos, gerando uma estagnação organizacional e a desmotivação do grupo”.

Por outro lado, se a avaliação de desempenho cumpre sua função correta, os benefícios são expressivos. A motivação da equipe é um dos ganhos apontados pelo administrador especializado em desenvolvimento humano e diretor da Zamplex Consultoria, Henrique Montserrat Fernandez.

“Para que a motivação ocorra”, destaca Montserrat, “o avaliado deve receber retorno satisfatório dessas mensurações. É importante também deixar claro aos colaboradores que a avaliação de desempenho não visa somente aumento de salário, mas sim o aprimoramento profissional e o alcance das metas organizacionais”.

Henrique ainda sublinha que, antes da aplicação de qualquer avaliação, os profissionais precisam saber com clareza o que as empresas esperam deles e como serão aferidos por isso. “O colaborador deve ter ciência de quais são suas atividades e o que elas implicam para o dia-a-dia da empresa. Essas atividades, decorrentes sempre do cargo que ocupam, devem estar claramente definidas por escrito. Isso evitará a clássica desculpa: ‘isso não faz parte de minhas responsabilidades’”, orienta Fernandez.



Redação, Portal Competência