Inclusão digital ainda é um desafio no Brasil

CompartilheShare on LinkedInShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on TumblrPin on PinterestEmail this to someonePrint this page
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

O Brasil aparece na 18º posição de um ranking de 75 países que identifica as condições de acesso à internet. O levantamento, divulgado nesta semana, foi realizado pela The Economist Inteligence Unit em parceria com o Facebook e teve como base diversas fontes, entre elas, informações da União Internacional de Telecomunicações (ITU, na sigla em inglês) e entrevistas com especialistas no tema realizadas durante o ano de 2016.

Os principais atributos considerados para medir o nível de internet inclusiva foram disponibilidade de sinal de internet, viabilidade de custo e ambiente econômico favorável. Na posição geral, a nota do Brasil é 78 em uma medição que vai até 100. Entre os países em desenvolvimento, o Brasil fica atrás de Polônia, Romênia, Rússia e Taiwan. Na comparação com os países da América do Sul, o Brasil é o primeiro do ranking.

O estudo também mostra que o Brasil está entre os dez países do mundo com maior número de população desconectada. Cerca de 70 milhões de brasileiros estão sem acesso à internet. Os países com melhor colocação são Cingapura, Suécia, Estados Unidos, Reino Unido, Japão e Coreia do Sul. O índice em que o Brasil se sai melhor é aquele que considera o custo, onde são analisados preços de serviços e equipamentos, neste quesito, o país teve nota 92,3.

Já quando o tema é disponibilidade, o Brasil aparece com nota 65,8, em termos de ambiente econômico favorável a nota do Brasil é 70,9. No atributo relevância, que considera a presença de conteúdo local para equipamentos, a nota do Brasil foi de 84,3. A pesquisa também mapeou o perfil dos usuários de internet e constatou que no Brasil os homens têm mais acesso a internet do que as mulheres. A recomendação para que o Brasil melhore seu posicionamento é a ampliação e o investimentos em banda larga e a necessidade de melhorias em infraestrutura.

Ainda segundo o estudo, quatro bilhões de pessoas possuem acesso a internet no mundo. O percentual de pessoas sem conexão varia. Na Europa, o índice é de 20% da população enquanto na África o índice chega a 75%. De acordo com os analistas responsáveis pelo estudo, altos níveis de desenvolvimento econômico e social permitem melhor acesso à rede. “Não só infraestrutura, mas conteúdo relevante que favorece o desenvolvimento das habilidades digitais”, diz os analistas.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Cadastre-se na nossa Newsletter

Aceito receber e-mails da DTCOM. Não se preocupe, não enviaremos spam.

Deixe uma resposta